Acusados de homicídio e ocultação de cadáver são apresentados pelo DHPP

SONY DSCNa manhã dessa quinta-feira, 16, a delegada Rosana Freitas, responsável pela 5ª Divisão do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), detalhou a investigação que culminou com a prisão de duas pessoas responsáveis pela morte de João Carlos dos Santos, 32 anos.

O crime foi registrado no dia 11 de março desse ano e o corpo da vítima foi encontrado pela polícia em uma cova rasa localizada na localidade conhecida como Tijuquinha, em São Cristóvão, no dia 20 de março.

Foram presos o ex-presidiário José Walter Santos Filho, 30 anos, e Edvan da Silva Júnior, 22 anos. A companheira de Edvan, identificada como Leilane Soares Dias, 28 anos, estava no momento das prisões e foi presa, também, por envolvimento com o tráfico de drogas, posse de arma de fogo e formação de quadrilha.

“A prisão aconteceu no bairro Santo Antônio no final da manhã de ontem. Na oportunidade, fomos cumprir os dois mandados de prisão contra José Walter e Edvan por conta do homicídio e ocultação de cadáver. A Leilane estava no local e foi detida, pois tentou esconder drogas nas roupas íntimas”, explicou a delegada Rosana Freitas.

As prisões aconteceram no bairro Santo Antônio. O trio estava em uma residência onde foram encontradas 22 pedras de crack, mais três pedras maiores da droga, dois papelotes contendo cocaína, uma balança de precisão, dinheiro, munições e uma pistola calibre 765. “Os três responderão pelos crimes de tráfico de drogas, formação de quadrilha e posse de arma de fogo. Já Edvan e José Walter serão responsabilizados também pelo crime de homicídio e ocultação de cadáver”, explicou Rosana.

Caso

A investigação policial apontou que a causa do assassinato foi por conta de supostas ameças feitas pela vítima a sua ex-companheira que morava com sua mãe na região onde foi registrado o crime. De acordo com Rosana Freitas, a ex-companheira da vítima Lilian Soares de Sá, que é irmã de Leilane Soares, comentou as ameças com a irmã e os autores.

SONY DSCA vítima então foi surpreendida pela dupla que começou a agredi-la. Eles levaram João Carlos para o interior da casa de Kátia, que mora com a mãe Kátia Cilene Soares. Lá assassinaram João a pauladas. Posteriormente eles limparam a cena do crime, queimaram um sofá onde a vítima foi colocada morta e enterraram o corpo no fundo da cada de Kátia.

Durante à noite, Kátia pediu que tirasse o corpo de lá. Após ser desenterrado, o corpo foi então colocado em uma cova rasa em um terreno que fica atrás da residẽncia, onde foi encontrado pela policia no dia 20 de março. “Kátia e Leilane já compareceram a delegacia prestaram depoimento. Elas serão responsabilizadas também pelo crime e serão indiciadas”, finalizou a delegada.

Por: Ascom da SSP

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: