ADRPES pode recorrer à justiça para barrar retomada das aulas presenciais

A ASSOCIAÇÃO DOCENTE DAS REDES PÚBLICAS DO ESTADO DE SERGIPE (ADRPES) vem a público repudiar a posição do governo Belivaldo Chagas   e do sindicato (SINTESE), que colocam em risco a saúde e a vida dos docentes, discentes e familiares. Mormente, sabemos que os protocolos apresentados não permitem segurança plena para a Comunidade Escolar e os familiares dos docentes/discentes. Ademais, temos observado uma segunda onda da   Covid-19 na Europa e que, fatalmente, chegará ao Brasil. Assim sendo, vemos como risco expor docentes e discentes ao COVID 19 com o intuito de alcançar um melhor desempenho no ENEM; nesse hiato, estamos vivenciando uma realidade totalmente atípica para os docentes e os discentes.

No momento em que foi definido o Ensino Remoto, o governo do Estado deveria ter possibilitado acesso para todos os envolvidos no processo educacional (discentes e docentes). Faltando um mês e meio para o fim do ano e para a realização das provas do ENEM, é notável que o Governo Belivaldo Chagas e a Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (SEDUC) não têm a educação como prioridade, mediante à exposição de docentes, discentes e familiares ao COVID 19. Nesse sentido, a decisão tomada pelo Comitê Técnico-Científico e de Atividades Especiais (CTCAE) revela a real prioridade: política, eleitoreira, em detrimento do científico.

Caros colegas, portanto, na iminente eleição, devemos rejeitar aqueles candidatos que dizem defender nossa categoria. Todavia, na prática, estão só pensando em seus interesses político-partidários em detrimento dos anseios e do bem-estar dessa categoria tão valorosa, o professor. Infelizmente, recebemos, no dia do professor, um presente de grego do Governo Belivaldo Chagas com o aval do SINTESE, que fez parte da Comissão para retorno das aulas presenciais.

NA CONTRAMÃO DA HISTÓRIA, enquanto os sindicatos de outros Estados e a Associação Docente tomaram a posição pública pelo não retorno de aulas presenciais, em Sergipe, o peleguismo veio à galope no campo sindical, defendendo, à revelia da categoria, o Retorno de Aulas Presenciais; o SINTESE auxiliou o governo no âmbito do retorno das aulas, apresentando um protocolo ao Governo Belivaldo Chagas, em desacordo com a opinião dos docentes, que em enquete disseram não a volta às aulas presenciais durante o período da pandemia. Lamentável!!!

Hoje a saúde e a vida dessa categoria está sendo colocada em risco; não obstante, em nenhum momento, os educadores foram ouvidos nem pelo governo Belivaldo Chagas, nem tampouco por quem diz “representar” essa classe.

Docentes, pois, iremos continuar com o nosso posicionamento em defesa da saúde e vida dos nossos associados. Em virtude disso, analisaremos com a nossa assessoria jurídica o que podemos fazer para preservar os nossos associados.

É com tristeza profunda que recebemos o pronunciamento do Governo Belivaldo Chagas no dia do professor. Esse é o nosso repúdio à política do descaso apresentada pelo Governo Belivaldo Chagas e legitimado pelo sindicato. Eu luto, você luta, nós lutamos por uma escola sem luto !!!

 

A Direção da Associação Docente das Redes Públicas do Estado de Sergipe.

 

 

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: