SUBVENÇÕES: Presidente Angelica Guimarães esclarece presença do MPF na Assembleia Legislativa

DEPUTADO-ANGELICA-ANGELICA-ANGELICA-GUMARAES
Presidente da Assembleia Legislativa de Sergipe – Deputada Angelica Guimarães / Foto ( arquivo) : www.imprensa1.com.br

O Ministério Público Federal (MPF) esteve na noite desta terça-feira, dia 04, na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), para coletar documentos referentes às verbas de subvenção distribuídas pelos 24 deputados no exercício de 2013 e 2014. A suspeita do MPF é de que a verba tenha sido usada no período eleitoral.

E para que não houvesse nenhum tipo de especulação sobre a presença de um oficial de justiça e Procuradores Federais, a presidente da Alese, deputada Angélica Guimarães (PSC), concedeu entrevista a imprensa a fim de explicar o episódio envolvendo as verbas de subvenções .

“A Justiça Eleitoral tinha encaminhado notificação para o Legislativo Estadual no último dia 28 de outubro, pedindo documentos referentes às verbas de subvenção. Recebemos a notificação com prazo de 48h para resposta e, assim, fizemos”, ressaltou.

IMG-20141104-WA0163
Carro do Ministério Público Federal – MPF

Para Angélica, a visita do MPF é algo normal, tendo em vista que o Parlamento Estadual age de forma transparente. “As informações foram prestadas, mas quando não satisfaz a Justiça, é natural que solicite um novo prazo para que possamos enviar”, frisou.

IMG-20141104-WA0165
Carro da Procuradoria Federal

Segundo Angélica, todas as informações sobre as verbas foram repassadas para a Justiça Eleitoral. “As procuradoras queriam informações sobre as verbas e tudo que tínhamos aqui, foi encaminhado, inclusive duas emendas de solicitação assinadas por 12 deputados”, disse.

Tendo responsabilidade com a informação, o site Imprensa1,  checou todas as informações sobre a presença da justiça federal no prédio da Alese e, constatou que nenhuma  equipe da Policia Federal (PF) em Sergipe participou dessa ação judicial junto a Assembléia Legislativa. O contrário do que foi divulgado nas redes e Grupos de Redes  Sociais, a exemplo do WhatsApp. Que teriam noticiado uma ação da PF na Alese, o que não foi.

Por Bruno Almeida

Foto:IMPRENSA1.COM.BR  e Grupos Sociais 

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: