Imprensa1
Site de notícias do jornalista radialista Marcos Couto

Alessandro Vieira mostra seu preparo para conduzir o Governo de Sergipe

Foto: Assessoria

Com sua postura firme, direta e muito propositiva, o candidato ao Governo de Sergipe Alessandro Vieira (PSDB) participou do debate promovido pela TV Itnet na noite de quinta-feira, 15. O primeiro grande confronto de ideias entre os candidatos ao Governo foi mediado por Luiz Carlos Focca, e abordou temas como Combate à Corrupção, Segurança Pública e Saúde, além da rodada de perguntas livres entre os postulantes.

Em sua apresentação, Alessandro Vieira ressaltou a importância do debate de ideias para a construção da democracia, e convocou os sergipanos a compararem os candidatos, apontando que Fábio Mitidieri (PSD) e Rogério Carvalho (PT) são os dois candidatos do grupo governista, e que Valmir de Francisquinho (PL) enfrenta uma série de dificuldades na justiça, está inelegível e seus votos serão anulados.

“Peço aos sergipanos que façam um exercício de comparação. Compare as histórias, os projetos, com quem andam, com quem já andaram no passado e o que podem fazer pra mudar de verdade o estado de Sergipe. O nosso estado vive um desastre gerencial. Terceiro estado com mais desempregados do Brasil. O sétimo estado mais violento do nosso país. Um desalento completo, uma desatenção. Problemas que se sucedem. E essas pessoas já tiveram espaço de poder e oportunidades pra fazer a mudança e não fizeram”, pontuou.

Alessandro destacou que pra fazer a mudança de verdade é preciso ter qualidade, independência e coragem pra romper os velhos esquemas. “Comparando, é possível saber que nós temos projetos concretos pra geração de emprego e renda, pra recuperação da nossa saúde pública que está destruída há muito tempo e principalmente pra fechar as torneiras da incompetência e da corrupção”.

 

Combate a Corrupção

 

O primeiro tema sorteado para discussão foi combate à corrupção. Na oportunidade, o delegado Alessandro evidenciou a urgente necessidade de romper um ciclo histórico de desvios, fraudes, e falta de focalização do dinheiro naquilo que é necessário. “A corrupção mata, porque tira o dinheiro da saúde, da educação, da segurança pública, mata o futuro dos sergipanos. Como é que aqueles que são hoje processados por improbidade, sonegação, corrupção, vão ter capacidade de assumir um compromisso verdadeiro de combate à corrupção?” questiona.

E continuou: “Quem tem no seu grupo político a raiz essencial da corrupção não vai conseguir fazer essa mudança. É só propaganda. Na verdade, o que nós temos que ter é, primeiro, liderança política forte, qualificada e que induz o bom exemplo; transparência; orçamento participativo; o fortalecimento não só da polícia, mas da Controladoria Geral. Além de cuidar do nosso tribunal de contas pra que ele não seja só de faz de contas, pra que ele possa efetivamente prestar um bom serviço”.

O delegado Alessandro salientou que Sergipe é o terceiro estado menos transparente do Brasil. “Não tem como enfrentar a corrupção com telhado de vidro. Vira uma espécie de concurso de bandidos, um concurso de ladrões. Nós precisamos ter na verdade gente honesta que consiga fazer a mudança verdadeira que o estado de Sergipe precisa. Eu levo a minha experiência e minha prática como policial, e também como Senador da República, pois foram mais de uma dezena de projetos apresentados de combate à corrupção, de aumento da transparência, e várias ações de fiscalização efetivas. Economia do dinheiro do povo. O combate frontal ao Orçamento Secreto. Esse enfrentamento só faz quem pode. Não adianta fazer propaganda nem discurso fácil. Tem que ter história, coragem e capacidade”.

 

Segurança Pública

 

O segundo tema debatido foi Segurança Pública, especialidade de Alessandro Vieira, com vinte anos de profissão como delegado de polícia. “Um diagnóstico muito claro do que nós temos aqui em Sergipe é uma política de segurança ausente, reativa, que tem qualidades baseadas apenas na atividade de investigação, confronto, enfrentamento do crime. Os bons indicadores e projetos de segurança são baseados em prevenção. Nós precisamos reduzir os casos de criminalidade. Isso ocorre de uma forma muito objetiva com investimento no profissional, com a realização de concursos públicos periódicos, treinamento adequado, infraestrutura e tecnologia”.

Alessandro Vieira é o parlamentar federal que mais colocou recursos em segurança no estado de Sergipe, nos últimos quatro anos. Foram cerca de R$ 15 milhões de reais. Dentre os investimentos contemplados está o projeto de R$ 1 milhão, já em instalação no município de Itabaiana, que constrói uma muralha digital, com vídeo monitoramento para inibir o crime. O mesmo projeto será implantado também na cidade de Nossa Senhora da Glória.

“De uma forma muito clara e objetiva, em nosso governo temos o compromisso da mesa de negociações permanentemente aberta com os profissionais da segurança, com a presença do Governador do Estado. Vamos investir no avanço efetivo das unidades especializadas de atendimento, combate à violência contra a mulher, promovendo uma segurança que ampare o cidadão e a cidadã, que garanta patrimônio, garanta o direito de os sergipanos terem suas vidas. Sergipe infelizmente hoje é o sétimo estado mais violento da federação. Fruto do governo que está aqui representado por Fábio e Rogério”, alertou.

 

Saúde

 

Para o delegado Alessandro, a saúde pública de Sergipe precisa de um grande choque de gestão e transparência. “A situção é caótica, e a consequência são filas gigantescas com a deficiência de atendimento, uma falta de respeito com o servidor público e com o cidadão. Sergipe tem uma vergonha nacional, que é a obra do Hospital de Câncer de Aracaju, que possui cerca de quinze anos de terraplanagem”.

Alessandro destacou que a bancada federal, mesmo contra a vontade do governador Belivaldo Chagas, atuou para concretização do Hospital de Amor, em Lagarto, e ressaltou a necessidade de um novo projeto de regionalização, que repactue direitos, deveres, obrigações, financiamento compartilhado e principalmente atendimento na ponta. “Nós não podemos mais desperdiçar vidas. 90% dos sergipanos dependem totalmente do SUS. Para o resgate da saúde é essencial realizar concursos públicos periódicos, recuperar e investir na infraestutuura das unidades hospitalares, tornar o sistema cada vez mais eficiente e digital”.

Por: Laisa Bomfim/Ascom

Deixe uma resposta

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...