Ana Lúcia apresenta demandas das comunidades quilombolas à SEMARH

ana luciaCom uma atuação parlamentar marcada pela defesa das causas populares, a deputada Ana Lúcia (PT) se reuniu na manhã da última sexta-feira, dia 19, com o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Olivier Chagas e com as lideranças quilombolas, Ângela Maria Viana e Robério da Silva, para apresentar as principais reivindicações dessas comunidades em Sergipe.

Problemas de várias regiões do estado foram discutidos, como o desmatamento de manguezais por todo o estado, especialmente na região do município de Brejo Grande. De acordo com Robério da Silva, os grandes produtores de camarão da região desmatam os mangues para construírem tanques para a prática da carcinicultura, o que prejudica os pequenos produtores e as comunidades quilombolas para o plantio de mandioca e de arroz.

“Em territórios como Gato Preto, Carapitanga, Salinas, Resina, Brejão dos Negros, Terra Vermelha e Garatuba, todos em Brejo Grande, o desmatamento já está muito avançado”, afirma Robério.Após o relato das lideranças quilombolas, Olivier Chagas se comprometeu a fazer uma visita às regiões mais desmatadas acompanhado de técnicos da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMARH), para que possa ser feito um estudo mais aprofundado para resolver essa situação.

Outra demanda apresentada ao secretário foi o despejo de esgoto da cidade de Estância diretamente no rio Piauitinga. Esse problema afeta a vida de pescadores que dependem do rio para sobreviver, além de provocar um surto de esquistossomose na região. Segundo Olivier, a SEMARH irá se reunir com a DESO para que seja encontrada uma solução para essa questão o mais breve possível.

Um problema grave que as lideranças também levaram ao conhecimento do secretário, foi a grande dificuldade que pescadores e catadoras de mangaba dos municípios de Indiaroba, Santa Luzia, Estância e Itaporanga encontram para trabalhar na Reserva Extrativista (Resex).

Dentro da área existem três comunidades quilombolas que dependem da terra para tirar o seu sustento e devido à forte pressão de grupos políticos essas pessoas não conseguem acessar áreas onde é possível exercer a prática extrativista. Segundo as lideranças, esse impedimento pode ser resolvido com a assinatura do decreto que reconhece os territórios das comunidades.

“Todos os trâmites desse processo já foram cumpridos. Só está faltando a assinatura da Presidência da República”, declara Robério da Silva. Mais uma vez se mostrando solícito, Olivier se ofereceu a fazer uma visita ao Ministério do Meio Ambiente, com a companhia da deputada Ana Lúcia, para que essa questão seja discutida e que o decreto seja assinado.

Além dessas questões, também foi pautada por Ana Lúcia a necessidade de o secretário discutir com o governador Jackson Barreto a criação do Parque das Dunas, no município de Barra dos Coqueiros. A parlamentar afirma que a região vem sofrendo com muitas ocupações irregulares, com o desmatamento da mata Atlântica e a destruição do rio do local.

Por: Ascom da parlamentar

 

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: