Aracaju é a segunda capital que mais cresce no índice do IDEB

Escola_Ideb_Sílvio_RochaA Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) continua a colher bons frutos referentes às ações desenvolvidas desde o início da atual gestão. Diferente do que vinha acontecendo nas ocasiões anteriores, os dados do Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (IDEB) 2013 foram divulgados e desta vez Aracaju tem o que comemorar. No último índice do IDEB, edição 2011, a capital sergipana não só ocupava a última colocação no ranking de capitais, como não havia atingido a meta. No que concernia à evolução do IDEB Anos Iniciais, a média era de 3.6. O êxito de todo o trabalho que vem sendo realizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) pode ser comprovado em números. Se a estimativa era de Aracaju sair dos 3.6 para 4 pontos, foi-se além e conseguiu-se mais, cravando uma média de 4.1.

A partir destes números, Aracaju configura-se como a segunda capital com maior evolução, com 0,5 décimos, atrás apenas de Rio branco, que marcou 0,7. Para se ter a dimensão da importância destes dados, faz-se necessário pormenorizar o que exatamente vem a ser IDEB. É graças a este índice que, em um só indicador, há a reunião de dois conceitos igualmente importantes, o fluxo escolar e a média de desempenho nas avaliações. E, para se chegar aos números pré-citados, o cálculo segue determinados critérios: com base nos dados sobre aprovação escolar, conseguidos no Censo Escolar; com base também nas médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Saeb – para as unidades da federação e para o país; e a Prova Brasil – para os municípios.

O avanço conquistado pela Semed não é gratuito; resulta, sim, de uma série de atitudes administrativas. A valorização do professor é uma das preocupações primordiais, pois há a consciência de que ele é parte imprescindível. A começar por um programa de capacitação continuada, em que os professores recebem acompanhamento e podem trocar informações entre si. Outra medida é o pagamento do piso, em cumprimento à Lei Federal 11.378, de 16 de julho de 2008, o que representa um reajuste de 8,32%. Desde então, nenhum professor da rede municipal com 40 horas semanais tem um salário inferior a R$, 1.697,37. Este reconhecimento do trabalho dos educadores ocorre em duas vias, de modo vertical e horizontal. Isto porque há a valorização da carreira. Assim, o professor tem a oportunidade de crescer tanto pelo tempo de serviço, quanto por sua formação (graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado). Não à toa, mais de 60% dos professores da rede municipal têm pós-graduação, e não poucos mestrado e doutorado.

A ideia da PMA é garantir a valorização do professor com significância. Prova disso é a criação do Concurso Show de Aulas, em que os docentes da rede produzem material de apoio multimídia. O concurso surgiu como maneira de incentivar o aperfeiçoamento dos profissionais. Na primeira edição, cada professor pôde submeter até dez propostas, em diferentes tópicos, de quaisquer disciplinas do Ensino Fundamental II, do 6º ao 9º ano, sob avaliação de doutores da Universidade Federal de Pernambuco e pela empresa Joy Street. A premiação foi de 600 reais por cada aula vencedora, e a segunda edição do concurso já está em fase de inscrição. Cada professor por receber premiação por até dez aulas, somando R$ 6 mil a mais na renda. Foi o caso do professor de Matemática Roberto Carlos, que teve dez aulas escolhidas no ano passado.

No início deste ano, o prefeito João Alves Filho assinou o termo de posse de 74 novos diretores e 24 subdiretores para 2014/2015. Na ocasião foi assinado também o Pacto de Gestão entre a Prefeitura e os diretores eleitos para que o cumprimento das metas pré-estabelecidas fossem cumpridas, com a remuneração equivalente a um 14º salário para aqueles que conseguissem alcançar ao menos 70% das metas. O objetivo desta implementação é que as escolas se autovalorizem e acreditem no poder transformador de uma boa educação.

Protege

O Programa de Tecnologia e Gestão das Escolas (PROTEGE) é outra iniciativa que está diretamente ligada à conquista do crescimento da cidade no IDEB. Caracterizado por ser um sistema de gestão escolar que promove a interatividade entre gestores, professores, alunos e pais, o PROTEGE tem modificado, para melhor, a forma da educação do município. Agora, a tecnologia está a serviço do aprendizado. Já foram instaladas nas escolas 300 lousas digitais, e em breve mais salas de aula serão contempladas. Em 50% das unidades escolares, o diário de classe, por exemplo, já não é mais feito de modo arcaico, no papel e na caneta. Graças à entrega de 1.800 tabletes para todos professores da rede, a presença e a falta dos alunos são registradas de modo digital, em um aplicativo instalado nos aparelhos. Agora, assim que o professor assinala a ausência do aluno, os pais ou responsáveis são informados via SMS. A estimativa é de que em 2015 todas as escolas municipais estarão com diário de classe 100% digital. Os benefícios não ficam por aí. Ainda no tablet, os professores podem fazer o acompanhamento das atividades e ter acesso a 11.500 títulos disponíveis a dois cliques.

A secretaria municipal de Educação, Márcia Valéria, acredita que os dados do IBED são a prova de que se está no caminho certo. “Essas políticas de implementação acontecem graças à visão do prefeito João Alves Filho, a quem eu agradeço. E minha gratidão especial é também para os professores que abraçam os projetos, não adiantaria nenhum esforço sem a adesão da comunidade escolar”, diz a secretaria.

Fonte: PMA

Foto: Silvio Rocha

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: