Assembleia Legislativa de Sergipe fará sessão especial para homenagear as mulheres

Luciano-Bispo---na-tribuna-presidente-da-Alese-Luciano-bispo--discurso-tribuna--Imprensa1--deputados--Gualberto-Mendonça--Garibalde-Mesa-diretora-deputados---009Nesta segunda-feira, dia 23,  às 17h, a Assembleia Legislativa de Sergipe, em sessão especial de comemoração ao Dia da Mulher, fará entrega da Medalha de Honra “Deputada Quintina Diniz”. A homenageada será a juíza de Direito, Iracy Ribeiro Mangueira Marques, pelos relevantes serviços prestados a sociedade sergipana.

A iniciativa é de autoria das deputadas estaduais, Maria Mendonça (PP), Goretti Reis (DEM), Silvia Fontes (PDT) e Ana Lúcia (PT). A juíza Iracy Mangueira, que já atuou como delegada da Delegacia da Mulher. Foi umas das idealizadoras do Centro de Atendimento a Grupos Vulneráveis (CAGV) assim como, pioneira na luta dos direitos da mulher, e todas as infrações cometidas contra crianças e adolescentes, crimes raciais, infrações contra profissionais do sexo, cidadãos do segmento gays, lésbicas, bissessexuais, transexuais, transgêneros, pessoas com deficiências, e idosos.

Quem foi Quintina Diniz

A professora Quintina Diniz de Oliveira Ribeiro nasceu em 1878, em Laranjeiras, e exerceu o magistério na antiga Escola Normal e manteve, em Aracaju, o Colégio Sant’Ana, que funcionou na avenida Rio Branco e depois na rua Maruim até a década de 40. Sua vida política teve início em 1934, quando foi eleita a primeira mulher deputada estadual constituinte pela UDN, durante o curto período de organização democrática da chamada República Nova.

Ela ajudou a escrever a Constituinte de 1935. Quintina, que morreu aos 64 anos, em 1942, foi a primeira mulher sergipana a ter esse tipo de participação política, decorrente tanto das suas ligações de família quanto de seu engajamento nas causas do seu tempo, incluindo o movimento feminista que empolgou e destacou algumas mulheres, em todo o Brasil.

Depois dela, as mulheres só voltariam a ser representadas na Assembleia Legislativa de Sergipe 20 anos mais tarde, em 1954, com Núbia Nabuco Macedo, esposa de Francisco de Araújo Macedo, líder do Partido Trabalhista Brasileiro, em Sergipe. Com Informações: Jus Brasil

Por: Luciana Botto – Agência de Notícia Alese

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: