Batalha diz que divida da Torre é herança de Gama, Déda e Edvaldo

lixoA Prefeitura de Aracaju desde o final de semana tem empenhado todos os esforços para solucionar a questão do lixo de Aracaju. Sobre o episódio em que os garis e margaridas da empresa Torre paralisaram as atividades por falta de pagamento, apesar de ser uma relação trabalhista, a prefeitura é responsável indireta e preocupa-se com toda a sociedade. E o referido impasse entre a PMA, a empresa Torre e o Sindilimp não passou de uma má interpretação de um decreto de 24 de fevereiro de 2015, que recomenda a redução dos custeios das secretarias, diante da crise econômica em que o país vive e não trata sobre demissão.

Entenda a Dívida

O secretário de Comunicação de Aracaju, Carlos Batalha, esclareceu sobre o relatório do Tribunal de Contas. ”Então sobre a dívida de R$49 milhões, destes 23 milhões são de precatórios. Conforme declarações da própria Torre são dívidas deixadas pelos ex-prefeitos João Augusto Gama, Marcelo Déda e Edvaldo Nogueira que o sucedeu, além de não honrar com o pagamento das dívidas deixadas pelos seus aliados, ainda deixou como herança para atual gestão um débito de R$ 8 milhões que corrigidos em valores atuais atingem R$10 milhões que somados a R$ 4 milhões da atual gestão, já foram negociados em instituição bancária e parcelados em 17 vezes, vencíveis a cada dia 10 de todos os meses, tendo sido as duas primeiras parcelas(agosto e setembro)  pagas no valor de R$ 1,8 milhão e de desta forma o acordo firmado entre a Prefeitura e a empresa Torre está sendo honrado”, asseverou Carlos Batalha.

Quanto aos pagamentos dos últimos três meses que totalizam R$ 12 milhões já foi acordado com a empresa  que estará sendo pago a partir do dia 23. Dessa forma somados chega ao valor total de R$49 milhões. O Prefeito João Alves Filho recomendou todos os esforços para solucionar este problema que está afetando a população e os secretário da área, a exemplo de Jair Araújo ,da  Secretaria Fazenda, Eduardo Matos, do Meio Ambiente e do Presidente da Emsurb, Humberto Pereira estão adotando todas as medidas cabíveis e legais para resolver dentro da situação financeira do município.

O mal entendido

No que diz respeito à dúvida que pairava entre a Torre, Sindilimp e Emsurb sobre cortes de pessoal em 20%, diz respeito apenas a redução de custos e não de pessoal, o que significa que não existe qualquer obrigatoriedade de demissão de funcionários das empresas. Isso reafirma uma antiga política do prefeito João Alves Filho, que faz questão de ressaltar que em toda a sua vida pública, nos mais diversos cargos que ocupou e mesmo as administrações tendo passado por diversas situações de dificuldades financeiras, nunca demitiu ou exonerou nenhum funcionário. Além disso, o prefeito faz questão de manter a limpeza da cidade, que já é referência e motivo orgulho tanto para aracajuanos quanto para turistas.

Assim sendo, a Emsurb já oficializou todos os esclarecimentos à Torre e ao Sindilimp, ressaltando ainda que o número de equipes destinadas à execução dos serviços de limpeza pública e recolhimento de resíduos sólidos deverá obedecer aos quantitativos estabelecidos nos contratos 1210 e 1310.

Fonte: Secom PMA

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: