Caso Itaporanga: “Quero as minhas filhas de volta. Quero que a Justiça investigue tudo para que a verdade apareça”, afirma mãe

crianças-abusasadas--crianças-de-Itaporanga-caso-Itaporanga-Abuso-sexual-pedofilia-rede-de-prostituiçao-Imprensa1-mae-acusada-de-entregar-as-filhas-A mãe das quatro meninas que teriam sido vítimas de abusos sexuais, com a sua conivência, na cidade de Itaporanga D’Ajuda, esteve nessa quinta-feira, 14, na Delegacia do Município para conversar com a delegada Mariana Amorim, responsável pelo Inquérito Policial. Em entrevista ao radialista Orácio Oliveira de São Cristóvão, a mãe das meninas afirmou desconhecer as denúncias.

Inconformada com as acusações, a genitora conversou com a delegada por temer por sua segurança. “Estou abalada. Desde que tomei conhecimento disso, minha vida virou um inferno. Estou tomando remédio para me acalmar até agora”, afirmou.

A genitora contou, ainda, como as filhas foram morar com o pai, no estado de Alagoas. “Elas foram dia 21 de dezembro de 2012, passar as férias com o pai. No dia 8 de janeiro, pedi para ele comprar as passagens porque as aulas iam voltar e ele disse que elas não iam voltar. Estava desempregada, morando de favor e comecei a pedir que ele mandasse as meninas e ele não deixou.

Não registrei boletim de ocorrências e me arrependo. Deveria ter procurado o Conselho Tutelar”, lamentou.

A mãe, que não será identificada, disse que sempre amou as filhas e presou pelo bem-estar delas. “Quem me conhece e vive comigo sabe que tudo isso é uma mentira. Sabe que nunca poderia fazer mal às minhas filhas. Estou em choque com tudo isso”, disse.

Sobre o suposto abuso praticado pelo namorado, ela afirmou desconhecer a informação. “Eu namorei por três meses e terminei o relacionamento e, na minha casa, nunca teve chamego de homem. Os vizinhos sabem disso e podem confirmar”, alegou.

Questionada sobre a alegação das filhas de que estariam sendo enviadas para uma fazenda no município para a prática de orgias, ela ressaltou que a única fazenda que conhecia foi a que trabalhou há muito tempo. “Não existe essa fazenda que elas falam. Não sei como surgiu essa história”, completou.

Ainda abalada com todo o caso, a mãe das meninas fez um apelo emocionado. “Quero as minhas filhas de volta. Quero que a Justiça investigue tudo para que a verdade apareça. Estou pedindo uma chance para mostrar que nunca fiz mal para minhas filhas. Quero que todo mundo saiba a verdade”, desabafou.

Por Bruno Almeida

Foto: Marcos Couto

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: