CDJBC lança diagnóstico sobre distorção idade-série de adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa

Mais da metade dos adolescentes que cumprem medidas socioeducativas em meio fechado na grande Aracaju está fora da escola. Dentre os 122 meninos e meninas internos na região, apenas 53 frequentam a sala de aula: 55 deles não estão matriculados por falta de documentação e 31 estão na lista de espera por uma vaga.

Este e outros dados estão presentes da publicação “Diagnóstico da Distorção Idade-Série dos Socioeducandos de Unidades de Internação da Grande Aracaju”, que será lançada nessa terça-feira, 07, durante Seminário que irá debater a temática. O evento acontece a partir das 14h, no Auditório da Faculdade São Luiz de França, localizado na Rua Laranjeiras, 1838.

A publicação é coordenada pelo Centro Dom José Brandão de Castro (CDJBC) e é fruto de uma parceria com o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente de Sergipe (CEDCA) por meio do Fundo dos Diretos da Criança e do Adolescente (FUNDCRIA) e com a Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência Social e do Trabalho (Seit).

De acordo com a coordenadora geral do projeto e coordenadora de projetos do CDJBC, Joilda Aquino, o objetivo do estudo foi compreender a realidade da distorção idade-série e a importância da educação para a reinserção social do socioeducando, fazendo uma abordagem integral destes meninos e meninas, ou seja, considerando seu contexto escolar, familiar, comunitário e social.

“Considerando que o Estatuto da Criança e do Adolescente e o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo garantem que os adolescentes tenham acesso a educação de qualidade, nossa proposta é, fornecer subsídios para contribuir com a construção de alternativas a fim de garantir este direito aos meninos e meninas em cumprimento de medida socioeducativa, contribuindo ainda com a melhoria da qualidade da educação dos mesmos”, destacou Joilda Aquino.

Reativação do Comitê de enfrentamento à violência sexual

O lançamento da publicação, será marcado pela reativação do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes.

O Comitê é um espaço de articulação de sujeitos e instâncias governamentais e não governamentais, com vistas ao fortalecimento da política de direitos humanos de crianças e adolescentes através da mobilização e articulação para implementação de estratégias de enfrentamento às violações dos direitos humanos sexuais de crianças e adolescentes em Sergipe.

Formado por representantes da sociedade civil organizada, poder público e universidades, o comitê tem ainda o papel de monitorar as políticas públicas voltadas para a população infanto-juvenil e promover o direito à participação de crianças e adolescentes em todas as esferas da vida social.

Reprodução: www.imprensa1.com

Por: Débora Melo – Jornalista -DRT/SE 1265

[email protected]

Tel: (79) 99996-6899

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: