Governo Déda é reprovado na prova final do Sintese

CAPAfotos 198a manhã desta sexta-feria, no Calçadão da João Pessoa, os professores da rede estadual no ato da Prova Final de 2012 do SINTESE, reprovaram a política de educação do governo Marcelo Déda em 2012.


 De zero a 10, na média, o magistério deu nota 2,1 à política educacional do governo estadual, a mais baixa ao longo dos seis anos de Déda como governador.

A Região Centro-Sul foi onde o governo teve melhor avaliação: 4,7. Já na Região de Aracaju, o governo Déda, no quesito educação, teve o pior desempenho: nota 1,3.

No ano passado, primeiro ano do segundo governo de Marcelo Déda, a avaliação dos professores em relação à política educacional do Estado foi um pouco melhor.

O Governo Déda recebeu, em 2011, média 3,0 na educação. Já a média do seu primeiro governo (2007 a 2010) foi de 4,2.


“Não resta dúvida que a política de educação implementada pelo governo do estado é um fracasso. Quem está dizendo isso são os professores, que vivenciam no chão da escola todos os problemas, afirmou Angela Melo, presidenta do SINTESE.

No ato de fim de ano dos professores também foi exposta a lista dos “Caloteiros da Educação”, relação dos gestores públicos que não pagam o piso do magistério e dos que têm atrasado salários e 13º salário dos educadores.

Redes municipais

Entre as redes municipais, a melhor nota foi dada à administração de São Francisco, região do Baixo São Francisco. A política educacional do prefeito Ailton Nascimento (PDT) recebeu média 7,5.

O município com a pior avaliação da política educacional em todo o estado foi Aquidabã, também no Baixo São Francisco. A administração do prefeito Marcos da Acauã (PR) por muito pouco não recebeu nota zero, ficando com a média 0,1.

Sobre a prova


A Prova Final da Educação busca avaliar o nível educacional das redes estadual e municipais através de um questionário, respondido pelos professores da rede, que aborda as variáveis presentes no processo de ensino e aprendizado, sob temas como: Valorização profissional; Gestão Democrática; Garantia de Direitos do Plano de Carreira e Estatuto; Condições de Trabalho; Política Educacional e Qualidade Social do ensino são debatidos e avaliados pelo magistério sergipano.
Desde 2004 os professores das redes estadual e municipais utilizam os momentos finais do ano corrente para apresentar para a sociedade os resultados da “Prova Final da Educação Pública”.

Fonte: sintese

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: