Em discurso sobre protestos, Dilma elogia manifestantes, PM e próprio governo

dilma-em-sergipe

Em discurso em cerimônia no Palácio do Planalto na manhã desta terça-feira (18), a presidente Dilma Rousseff disse que o Brasil “acordou mais forte” depois dos protestos que ocorreram em dezenas de cidades na segunda-feira. Ela elogiou os manifestantes, a polícia, por não ter cometido excessos, e fez um autoelogio ao seu governo.

 

“O Brasil hoje acordou mais forte. A grandeza das manifestações de ontem comprovam a energia da nossa democracia. A força da voz da rua e o civismo da nossa população. É bom ver tantos jovens e adultos, o neto, o pai, o avô juntos com a bandeira do Brasil cantando o Hino Nacional, dizendo com orgulho eu sou brasileiro e defendendo um país melhor. O Brasil tem orgulho deles.”

 

Essas vozes, que ultrapassam os mecanismos tradicionais, os partidos políticos e a própria mídia, precisam ser ouvidas”, afirmou em discurso durante lançamento do novo marco da mineração no Brasil.

 

“A minha geração sabe quanto isso nos custou. Eu vi ontem um cartaz muito interessante que dizia: ‘Desculpe o transtorno, estamos mudando o país’. Quero dizer que meu governo está ouvindo essas vozes por mudanças”, afirmou.

 

A presidente louvou o caráter pacífico das manifestações, inclusive da parte da Polícia Militar, mas observou que os “atos isolados de violência contra pessoas e patrimônio” deveriam ser punidos. “O caráter pacífico dos atos de ontem evidenciou também o correto tratamento dado pela segurança pública à livre manifestação popular. Conviveram pacificamente. Infelizmente, é verdade, ocorreram atos minoritários isolados de violência contra pessoas e contra o patrimônio público e privado, que devem condenar e punir com rigor. Toda violência é destrutiva.”

 

Segundo ela, porém, a violência “não ofuscou o espírito pacífico das pessoas que foram às ruas pacificamente pedir pelos seus direitos”.

 

Dilma elencou ainda os diversos motivos que levaram milhares de pessoas às ruas de várias cidades do Brasil ontem.

 

“A mensagem direta das ruas é por mais cidadania, por mais escolas, melhores hospitais, direito de participação. Essa mensagem das ruas mostra a exigência de melhorias no transporte a preço justo, e o direito de influir nas decisões de todos os governos. Essa mensagem das ruas é de repúdio à corrupção e ao uso indevido de dinheiro público e comprova o valor intrínseco da democracia, da participação dos cidadãos por seus direitos.”

 

Ontem, em breve nota oficial, a presidente Dilma Rousseff defendeu as manifestações, desde que pacíficas. “As manifestações pacíficas são legítimas e próprias da democracia. É próprio dos jovens se manifestarem”, afirmou a presidente em texto divulgado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

 

Mais cedo, em audiência no Senado, o ministro Gilberto Carvalho, um dos assessores mais próximos de Dilma, havia afirmado que o governo “não entendeu” o funcionamento dos novos protestos. “Não conseguimos entender o que está ocorrendo ainda. São novas formas de organização de mobilização que ainda não compreendemos”.

 

Fonte: portal UOL

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: