Emília Corrêa: Estão querendo causar divisão

Foto: César Oliveira

“Uma é pouco, duas é muito, quatro é demais”. Algo jamais visto na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), quatro mulheres na mesma legislatura, parece estar incomodando. É assim que avalia a líder da Oposição na Casa, vereadora Emília Corrêa (Patriota), ao destacar algumas atitudes.

“O incômodo está sendo porque, embora sejamos de partidos opostos, estamos alinhadas em muitas pautas, já, em outras, haverá divergências. O que é simplesmente normal. Faz parte do estado democrático de direito”, argumentou.

De acordo com Emília, tudo se deu início, quando um colega de parlamento que presidia a Sessão Ordinária, quis distinguir as oposicionistas. “Para deixar bem claro, essa oposição que o senhor concedeu a fala, não é a oposição de direita. A oposição que estou líder, é composta pelo Vereador Ricardo Marques e Sheyla Galba (ambos do CIDADANIA) é a oposição da Casa. As demais colegas Linda Brasil (PSOL) é a Professora Ângela (PT) fazem parte de um bloco da oposição de esquerda. O que é natural, não atrapalha, pelo contrário, enriquece o legislativo”, afirmou.

Para a vereadora, a forma como foi dita e outras atitudes, só reforça a ideia de que estão querendo dividir a oposição na CMA. “Essa divisão desnecessária que estão querendo fazer, de maneira orquestrada, na verdade, significa, maturidade política. Talvez não estejam acostumados. É até bom que revejam isso, caso estejam com essa intenção. Se é nos calar que estão querendo, sinto informar: Não vão conseguir. Exigimos respeito. Respeitem a oposição”, declarou.

Fonte: CMA

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...