Garantia-Safra 2021/2022: agricultores familiares já podem aderir ao programa

A Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) informa que os agricultores familiares já podem se inscrever no programa Garantia-Safra 2021/2022. Podem fazer inscrição os agricultores com renda familiar mensal de um salário mínimo e meio, no máximo, que plantam entre 0,6 e 5 hectares. A coordenação estadual do programa chama a atenção, também, para a necessidade de adimplência dos municípios para que os agricultores que sofreram perda na safra 2020/2021 sejam beneficiados. Pelas regras do programa, os municípios que não estão em dias com as contrapartidas não terão as perdas analisadas e reconhecidas, ficando os agricultores prejudicados.

Segundo a Seagri, na safra anterior (safra 2020/2021) 12.854 agricultores fizeram adesão ao programa em 20 municípios do semiárido, mas a cota de Sergipe comporta a inscrição de até 25 mil agricultores.  O programa funciona como uma espécie de seguro agrícola para quem comprovar a perda de mais de 50% da safra em razão de estiagem ou excesso hídrico. Normalmente são realizados repasses de R$ 850,00 para cada agricultor que aderiu ao programa, divididos em cinco parcelas de R$ 170,00. Contudo, durante o período de pandemia, o repasse está sendo realizado em uma única parcela.

Inscrições para safra  2021/2022

A Seagri, responsável pela coordenação estadual do programa, diz que as inscrições estão abertas e vão até fevereiro de 2022. Para os produtores que já foram inscritos em safras anteriores, 2019/2020 ou 2020/2021, e que tenham a Declaração de Aptidão (DAP) ativa, tiveram as inscrições migradas para a safra 2021/2022. Já os agricultores que ainda não aderiram ao programa nas duas últimas safras devem inscrever-se de forma tradicional, dirigindo-se a qualquer escritório da Emdagro, de posse da DAP e documento de identificação com foto. Os agricultores da reforma agrária precisam dirigir-se ao INCRA ou à Secretaria Municipal de Agricultura. Já os assentados do Programa Nacional de Crédito Fundiário devem procurar a PRONESE.

Participação do Estado e municípios

Para o secretário de Estado da Agricultura, Zeca da Silva, a efetivação do aporte financeiro dos entes público é uma demonstração de compromisso com o agricultor. “Mesmo diante de um contexto de pandemia e de limitação de recursos financeiros, o governador Belivaldo Chagas, determinou o aporte de 1.311.108,00 garantindo o benefício a que o agricultor faz jus, como um reconhecimento da grande relevância do programa e da Agricultura em Sergipe”, pontuou. O secretário reitera o pedido para que os municípios também efetivem o pagamento da parte que lhes cabe. “Para que o programa funcione e o agricultor receba o benefício, é imprescindível que as prefeituras efetivem o pagamento de seus aportes”, reforça Zeca.

O seguro Garantia-Safra funciona com a contribuição financeira dos entes federativos e dos agricultores. Conforme estabelece a resolução do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/Comitê Gestor do Garantia-Safra, o valor do benefício é R$ 850 e fixa contribuições dos próprios agricultores familiares e dos entes federativos para as safras de feijão, milho, arroz, mandioca e algodão. De acordo com a resolução federal, as contribuições estão distribuídas da seguinte forma: R$ 17,00 para agricultores familiares; R$ 51,00 para os municípios (por agricultor que aderir em sua jurisdição); R$ 102,00 para os Estados (também por agricultor que aderir em sua jurisdição); e R$ 340,00 para a União (por agricultor que aderir ao Garantia-Safra).

Reprodução: www.imprensa1.com

Por: https://www.seagri.se.gov.br/noticia/400/garantia-safra-20212022-

Deixe uma resposta

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...