Greve dos servidores atrai a imprensa à Sefaz

MARCOS COUTO-22SET2015-ADIVAL GOES-JORNALISTA MARCOS COUTO-RADIALISTA MARCOS COUTO-LIBERDADE FMNo primeiro dia da greve de 72h dos servidores estaduais, auditores e auditoras de tributos se destacaram no ato político e na caminhada unificada desta terça-feira, 23. Às 7h da manhã, os protestos foram realizados na entrada da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz). Às 9h30, os grevistas saíram em caminhada até o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

Durante toda a manhã, a imprensa regional foi à Sefaz ‘cobrir’ a greve que repercutiu nacionalmente. A paralisação é conduzida pelo Movimento dos Trabalhadores dos Serviços Públicos e reúne 14 categorias e militantes das centrais sindicais (CUT, CTB e NCS).

Mobilização dos servidores

SINDFISCO-MANISFESTAÇAO-CAMINHADA-GREVE-PAULO PEDROZA-DEA JACOBINADepois das assembleias setoriais de adesão à greve, desde a semana passada, diretores do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco) percorreram as unidades e postos fiscais para garantir a mobilização. “A abertura da greve foi vitoriosa. E em especial, a nossa categoria está de parabéns pela adesão e pela presença no ato e na caminhada”, afirmou o presidente do Sindifisco, Paulo Pedroza.

Café da Manhã

Da agenda da greve, amanhã, 23, os sindicatos farão atividades específicas. O Sindifisco vai reunir a categoria em um café da manhã, às 8h, para debater Plano de Cargos, Loat e Subsídios. Na próxima quinta-feira, 24, às 14h, os servidores farão novos protestos unificados no Parque da Sementeira e seguirão em caminhada com destino ao Palácio dos Despachos.

Tempo indeterminado

“A situação entre os servidores está insustentável. A greve de foi a única alternativa para que o governo estadual apresente propostas concretas à pauta unificada dos servidores. Esse movimento vai continuar e não descartamos greve geral por tempo indeterminado caso o governo se mantenha insensível”, destacou Paulo Pedroza.

Da pauta, os servidores reivindicam o cumprimento dos acordos dos Planos de Cargos e Salários (PCCVs) e subsídios; reposição inflacionária, piso dos professores; transparência nas contas públicas e contra o parcelamento dos salários dos servidores.

O Movimento dos Trabalhadores do Serviço Público reúne as centrais sindicais CTB, CUT e Nova Central Sindical e os sindicatos Sindifisco, Sintese, Sinpol, Adepol, Sintasa, Sindimed, Stase, Sindinutrise, SEESE, Sindasse, Senge, Sinter, SINPSI, Sinditicc.

Reprodução: www.imprensa1.com.br

Por Déa Jacobina Ascom Sindifisco

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: