Hemocentro abre campanha junina de doação

Hemose campanha divulgacao

O dia Mundial do Doador de Sangue comemorado sexta-feira, 14, foi de celebração pela vida. Na sala de Coleta do Centro de Hemoterapia de Sergipe (Hemose) Nicolas Gabriel da Silva Souza, 4 anos e Jean Crisley de Araujo, 7 anos, portadores de hemofilia, fizeram a entrega de placas de cerâmica em agradecimento ao gesto voluntário dos doadores presentes a unidade.

 

A programação também contou com a participação de membros da Associação de Doadores de Sangue Nossa Senhora da Gloria e outro grupo de doadores de Capela, além da UTRiso e os Anjos da Enfermagem. O doador Fabiano Batista dos Santos, 39 anos, elogiou a homenagem. “Sinceramente não esperava, foi uma surpresa bonita. Acho que é importante essa valorização com os doadores”, afirmou.

 

Acompanhado das duas filhas, Carlos Magno Guedes, 35 anos, contou que resolveu doar, depois que viu nos telejornais, a notícia da celebração e da necessidade da aumentar as doações de sangue. “Para mim é um gesto de carinho com o próximo que pode salvar vidas, por isso sou doador”, disse.

 

Entre os grupos participantes das homenagens prevaleceu o sentimento de solidariedade. “Iniciei essa mobilização em prol da doação há três anos e hoje não poderia ser diferente”, destacou José Luciano, responsável pelo grupo de doadores de Capela. “Hoje saímos de Nossa Senhora da Gloria bem cedo, nosso grupo de mulheres são doadoras fieis a causa da vida”, acrescentou David Sales, presidente da associação de Doadores do município. 

 

Agradecimento 

Lucislaine de Rezende Oliveira, 13 anos, é portadora de anemia falciforme, uma doença hereditária caracterizada pela alteração dos glóbulos vermelhos do sangue. Pelo menos uma vez ao mês, ela viaja do município de São Francisco para receber transfusão de sangue no ambulatório do Hemose. “Parabéns aos doadores, graças ao gesto deles estou aqui agora”, agradeceu.

 

Campanha junina 

A festa preparada para os doadores, também deu início a campanha de sensibilização e mobilização destinada à ampliação da doação de sangue durante o período dos festejos juninos. “A doação de sangue é um ato universal, mesmo com os avanços da ciência ainda não foi encontrado um substituto para o sangue humano. Por isso, sempre que precisa de uma transfusão, o paciente conta exclusivamente com a solidariedade de todos nós”, avisou Servulo Nunes, diretor Operacional da Fundação de Saúde Parreiras Horta.

 

Foto: divulgação

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: