Igreja Católica beatifica a ‘bem-aventurada Dulce dos pobres’


Bem_Aventurada_Irm_DulceA imagem da religiosa baiana Irmã Dulce (1914-1992) foi revelada pela primeira vez como beata às 18h deste domingo, na missa de beatificação realizada no Parque de Exposições de Salvador.

A “bem-aventurada Dulce dos Pobres” foi recebida por dezenas de milhares de fiéis, que acenaram para a imagem com lenços brancos com a imagem da nova beata.
O rito de beatificação durou exatos 20 minutos. Primeiramente, foi feito o pedido oficial de beatificação pelo Arcebispo de Salvador, Dom Murilo Krieger. Um dos religiosos presentes leu então a biografia de Irmã Dulce, nascida Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, em 26 de maio de 1914.
Cerca de 15 minutos depois, o cardeal Dom Geraldo Majella Agnelo, representante do papa Bento 16 e presidente da cerimônia, leu, em latim e em português, a carta apostólica assinada pelo pontífice, oficializando a beatificação da religiosa.
O momento final do rito de beatificação ocorreu às 18h, com o descerramento da imagem de Irmã Dulce pela primeira vez como “bem-aventurada Dulce dos pobres”.
O papa Bento 16 fixou a data de 13 de agosto como o dia de celebração da beata.
O papa Bento 16 discursou em português neste domingo, durante a tradicional oração de Regina Coelli, para fieis de Portugal e Brasil.
“Desejo também unir-me à alegria dos pastores e fiéis reunidos em Salvador para a beatificação da irmã Dulce, que deixou sua marca de caridade ao serviço destes últimos, fazendo com que todo o Brasil visse nela ‘a mãe dos desamparados'”, disse Bento 16.
O pontífice autorizou a beatificação de Irmã Dulce em dezembro de 2010.

missa_em_homenagem_a_irm_dulceMISSA

A celebração teve início às 17h com a presença de dezenas de milhares de fiéis. A presidente Dilma Rousseff acompanha a cerimônia, junto com os governadores da Bahia Jaques Wagner e de Sâo Paulo, Geraldo Alckmin, além do ex-governador paulista, José Serra, o presidente do Senado, José Sarney, prefeitos da Bahia e autoridades religiosas.

Após o rito de beatificação, a Sergipana Cláudia Cristiane dos Santos Araújo, agraciada com um milagre atribuído pela Igreja Católica à religiosa, subiu ao altar, onde também foram exibidos objetos pertencentes à nova beata, agora considerados relíquias.

Em seguida, Dom Geraldo prosseguiu com a cerimônia eucarística. A celebração que confirmou mais uma beata nascida no Brasil terminou às 19h40.

 

Foto: Roberto Stuckert Filho/Presidência


Deixe uma resposta

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...