Justiça quer que a ex-deputada Angélica Guimarães devolva os R$ 36 milhões das verbas de subvenções

DEPUTADA-ANGELIC-mesa-diretora-da-ALESE-DEPUTADA-ANGELICA-GUIMARAES--IMPRENSA1-MARCOS-COUTO-DEPUTADA-ANGELICA-GUIMARAES-ANGELICA-GUIMARAESA juíza, Fabiana Oliveira de Castro, da 18ª Vara Cível, emitiu despacho nesta terça-feira, dia 04, na Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público Estadual, que pede que a ex-presidente da Assembleia Legislativa, atualmente exercendo o cargo de conselheira do Tribunal de Contas, “devolva” R$ 36 milhões, valor relativo ao pagamento “irregular e indevido” de subvenções indicadas por deputados.

Na ação, o MP também pediu a indenização por dano à imagem da Assembleia de R$ 7,5 milhões.

A magistrada não atendeu ao pedido de liminar feito pelo MP, por entender que antes a conselheira deve ser notificada para se manifestar no processo.

Assim que for notificada, a conselheira terá 15 dias para se manifestar por escrito.

Veja o despacho:

Trata-se de Ação Civil Pública, proposta pelo Ministério Público Estadual, requerendo em sede de liminar a decretação de indisponibilidade dos bens das demandadas, em razão da apuração de atos de improbidade administrativa.

Contudo, entendo necessária a notificação prévia das requeridas, para o oferecimento de manifestação por escrito, que poderá ser instruída com documentos e justificações, dentro do prazo de quinze dias, conforme determina o §7º do art. 7º da Lei nº 8.429/92..

Decorrido o prazo, com ou sem apresentação de respostas, façam os autos conclusos.

Aracaju/SE, 04 de agosto de 2015.

Por: www.nenoticias.com.br

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: