Imprensa1
Site de notícias do jornalista radialista Marcos Couto

Ministério Público visita cooperativas no bairro Santa Maria

lixeiraOs Promotores de Justiça do Meio Ambiente e Urbanismo, Dr. Gilton Feitosa e Drª. Adriana Ribeiro Oliveira, acompanhados do responsável pelo Programa de Defesa Comunitária do Ministério Público, Sr. José Soares de Aragão Brito, visitaram a CARE – COOPERATIVA DOS AGENTES AUTÔNOMOS DE RECICLAGEM DE ARACAJU, o RECRIARTE – REFORÇO CRIATIVO ESCOLAR e o Lixão do Bairro Santa Maria.

O objetivo da visita foi acompanhar as atividades desenvolvidas pela CARE sobre a coleta seletiva e o trabalho desempenhado pelos cooperados na unidade de produção.

Foram observadas pelos Promotores algumas dificuldades quanto à principal via de acesso ao prédio, que se encontra sem pavimentação, bem como a insuficiência de material reciclável para a inclusão de novos cooperados, pois a CARE possui uma infraestrutura para atendimento de 90 cooperados e, no momento, possui apenas 68. Um dos motivos da insuficiência de material reciclável decorre da adesão, em parte, da comunidade na participação da coleta seletiva, principalmente, nos condomínios residenciais e supermercados.

Pelos Promotores serão adotadas providências no sentido de tentar aumentar a coleta de materiais junto à comunidade, a fim de fazer a inclusão de novos cooperados e de implementação de obras de infraestrutura no referido Bairro, através dos órgãos municipais.

No que pertine à visita ao RECRIARTE, que dá apoio aos filhos dos cooperados e do entorno da Cooperativa e atende a faixa etária de 06 a 14 anos, foi constatada pelos Promotores de Justiça uma excelente estrutura, no entanto, para fins de atingir a capacidade plena de atendimento a 160 crianças, necessita de mais dois professores, verificando-se a existência de uma enorme lista de espera de alunos.

Por fim, os Promotores de Justiça visitaram a lixeira do Bairro Santa Maria, ratificando mais uma vez a realidade já conhecida de todos, destacando-se a presença de muitos urubus e forte odor de gás, tornando-se imediata a necessidade do encerramento das atividades, já requerida judicialmente.

Fonte:Assessoria de Comunicação MP/SE

Deixe uma resposta

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...