Obras de saneamento e abastecimento de água mudam a vida dos aracajuanos

 

deso obraO aniversário é de Aracaju, mas quem ganha o presente é a população que recebe do Governo do Estado mais qualidade de vida. Em toda a capital sergipana e na Grande Aracaju, obras de saneamento básico e abastecimento de água estão mudando o dia a dia da população.

De acordo com o diretor-presidente da Deso, Sérgio Ferrari, o Governo do Estado, por meio da Companhia de Abastecimento de Água (Deso) investe em duas vertentes fundamentais em Aracaju. A primeira é o abastecimento de água, a segunda, a ampliação para 80% da rede de esgoto.

Dentro do projeto de melhoria do sistema de abastecimento de água de toda a Grande Aracaju, o Governo do Estado assumiu, através da Deso, o desafio de finalizar a duplicação da Adutora do São Francisco e a construção da barragem do rio Poxim, o que torna possível proporcionar uma maior segurança a oferta de água pelos próximos 20 anos.

“A cidade sofreu muitos anos com o problema e a prioridade do governador Marcelo Déda é que não tenha racionamento em Aracaju e é o que já acontece, diferente de cidades como Recife e Maceió, que atualmente passam por racionamento”, relata o diretor.

O aposentado, José da Costa Nunes mora há 60 anos na rua Pernambuco, no bairro Siqueira Campos, em Aracaju. Ele lembra que o abastecimento de água na localidade nem sempre foi como é hoje. “Antes tinha problemas constantemente, mas há alguns anos, nosso abastecimento é regular”, assegura.

Quem também relembra um passado não tão distante é a aposentada Morenita Bonfim, que reside na rua Carlos Bulamarqui, no mesmo bairro, há 55 anos. “Estamos no verão, mas mesmo assim, não temos a necessidade de guardar água, como ocorria há uns cinco anos”, conta.

Até o ano de 2012, o montante investido em obras de ampliação e construção de sistemas de abastecimento de água atingiu R$ 308.038.178,13. Com a obra na adutora do São Francisco foi duplicado o volume de água, o que assegurou que não exista risco de racionamento em Aracaju.

 

Além disso, este ano, o Governo do Estado inaugurará a Barragem do Rio Poxim, que também serve o abastecimento de água em Aracaju, e assim, a população de bairros da Zona Norte, Atalaia, Mosqueiro e Santa Lucia terão ainda menos problemas com o abastecimento de água.

“Com essas duas obras – duplicação da adutora do São Francisco e Barragem do Rio Poxim – resolvemos o problema de desabastecimento de água em Aracaju pelos próximos 30 anos”, garantiu Sérgio Ferrari.

Sistema de Adutora do São Francisco 

Mais que a implantação de quilômetros de tubos, a duplicação do Sistema de Adutora do Rio São Francisco inclui a ampliação das Estações de Tratamento de Água (ETA) João Ednaldo e Oviêdo Teixeira, a instalação de quatro conjuntos de motobombas para captação de água. No processo de automação, os medidores analógicos deram lugar a instalação de painéis com mostradores digitais.

Barragem do rio Poxim-Açú 

Por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Deso deu continuidade a partir de 2007 à construção da barragem do rio Poxim. A obra foi concebida ainda em 2001, mas o seu andamento sofreu interrupções devido irregularidades, como a falta de certidão de responsabilidade fiscal para acesso ao crédito e realização da obra. Foi a partir de 2007 que o Estado se reorganizou e contratou empréstimos com a Caixa Econômica Federal que possibilitaram o reinício da execução do projeto.

A barragem que começa a ser operada em 2013 torna possível proporcionar uma maior segurança ao abastecimento de água na Grande Aracaju por mais duas décadas. Só a construção de uma estrutura de 1,35 km de comprimento e 25 metros de altura, já concluída, irá assegurar o armazenamento de até 36 milhões de metros cúbicos de água.

A água que circula diariamente na bacia do rio Poxim, responsável por cerca de 30% do fornecimento para Aracaju, Nossa Senhora do Socorro e Barra dos Coqueiros, vai ser acumulada durante os meses de chuva a um nível que tornará ao abastecimento mais tranquilo nos períodos de estiagem.

Rede de esgoto

Garantir a reestruturação da rede sanitária é a meta do Governo do Estado, que dessa forma, colabora para a despoluição dos rios e outros corpos de água. Para tanto, os investimentos estruturantes são destinados às obras de implantação de sistemas completos de coleta e tratamento de esgotos domésticos. O maior exemplo de que os projetos estão se transformando em benefícios para população está na Grande Aracaju, onde a cobertura de esgoto vai passar de 35% para 80%.

Somente em Aracaju estão sendo implantados 163,3 quilômetros de rede de esgoto até 2013, o que vai garantir mais saúde e qualidade de vida à população. São contemplados neste projeto os bairros Coroa do Meio, Atalaia, Farolândia, Grageru, Jardins, Ponto Novo e São Conrado. O investimento ganha força com a reforma das Estações de Recuperação de Qualidade Sul e Oeste.

Ainda este mês, alguns desses locais já estarão operando com a nova rede de esgoto. “Além da rede de esgoto estamos ampliando a capacidade das estações de tratamento de esgoto, dos bairros Santa Maria e Distrito Industrial”, avisou o diretor da Deso.

Em 2013 já foi autorizada a Ordem de Serviço para iniciar a obra da estação de tratamento do bairro Aruana, que atenderá toda a região da Zona de Expansão. Com essa obra serão mais 6% de ampliação da rede de cobertura de esgoto em Aracaju.

Santa Maria 

Por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), os Governos Federal e Estadual se uniram à Prefeitura de Aracaju para atender direitos fundamentais dos cidadãos do bairro Santa Maria. Nesse contexto, os serviços de saneamento básico são executados pela Deso com obras que contemplam 6,4 mil unidades habitacionais. Até 2012, 60,56% dos trabalhos foram concluídos.

Nossa Senhora do Socorro 

As intervenções do Governo de Sergipe e da Deso, em Nossa Senhora do Socorro têm como meta despoluir o rio do Sal, assim como seus afluentes e ajudar a preservar o ecossistema existente na região. No projeto iniciado, são inseridos 45 quilômetros de rede coletoras distribuídas na sede do município, no loteamento Piabeta e São Brás, além da recuperação da rede existente no conjunto João Alves. Mais de 35 mil pessoas são contempladas com os investimentos.

Coqueiral 

Acesso à rede de esgotamento sanitário é um benefício garantido também aos moradores do bairro Coqueiral. Ao menos 2,2 mil ligações domiciliares de rede de esgoto são executadas no projeto de desenvolvimento urbano na região. A meta da Deso, até 2012, foi acelerar a execução dos serviços para início da operação dos 13 km de rede de esgoto, permitindo que 2.267 ligações domiciliares atendidas.

Barra dos Coqueiros 

Bem próxima da capital sergipana, uma cidade já usufrui de rede sanitária implantada: Barra dos Coqueiros. Desde 2012, em vez de fossas, 4.534 residências têm acesso a um completo sistema de esgotos domésticos. São 34 quilômetros de tubulações e mais 3 km de emissários em funcionamento. Toda a estrutura foi interligada a Estações Elevatórias e a uma estação de tratamento. O sistema é resultante de investimentos no valor de R$ 15.165.220,44 do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Na Barra dos Coqueiros o abastecimento de água foi duplicado. Antes o abastecimento de água da cidade era realizada por poços situados no próprio município. Com um novo reservatório de 250 m³, no povoado Jatobá, e a ampliação da adutora existente, a empresa não só acompanha o crescimento imobiliário como atende ao potencial turístico de uma das cidades litorâneas que mais cresce no estado. “Interligamos a Barra dos Coqueiros ao sistema de Aracaju, hoje, o abastecimento é realizado pela adutora do São Francisco”, informa Ferrari.

Atento a expansão populacional, o Governo do Estado já fez a previsão para que tenha água suficiente para uma população de 50 mil habitantes. “A Barra dificilmente terá problema de abastecimento de água”, afirma Ferrari.

Mais investimentos

O Governo Federal já anunciou que vai liberar mais recursos para que seja investido na rede de esgoto. O Governo do Estado contemplará os bairros Santa Lúcia, Bugio, Santos Dumont e parte do bairro Olaria. “Com essa ampliação, a meta é chegar a mais de 90% de cobertura de esgoto em Aracaju. Isso tem um ganho fundamental que é a melhoria da saúde, além de despoluir os rios. Com essas ações, o governo dá um passo significativo de qualidade de vida da população”, ressalta Sérgio Ferrari.

Com 90% de cobertura, Aracaju será destaque no Brasil, pois poucas cidades do Brasil terão um índice tão alto de cobertura de esgoto. “A única capital que é Roraima, em Boa Vista, que já atingiu a universalização, mas é diferente de uma cidade com quase 200 mil habitantes, como a capital sergipana que já conta com mais de 600 mil habitantes”, observa o gestor estadual.

Por Cândida Oliveira, repórter da ASN

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: