Mulher que mandou matar Policial Militar é presa e confessa o crime

correia-faustina-assassina-mulher mandou matar o marido-bandida-assassinaA Polícia Civil de Sergipe, por meio da Coordenadoria da Polícia Civil do Interior (Copci), apresentou na manhã desta terça-feira, 29, Abertina Maciel Faustino Correia, 46 anos, e José Caetano da Rocha, 33, conhecido como “Beto da Oficina”, suspeitos de cometer homicídio contra o policial reformado José Alves Correia, morto a pauladas enquanto dormia no povoado Boa Vista, município de Porto da Folha, no dia 13 de agosto deste ano.

Delegado Dernival EloiDe acordo o coordenador operacional da Copci, delegado Dernival Eloi, as investigações iniciaram após os policiais notarem que o local do crime não havia sofrido nenhum tipo de arrombamento, o que chamou a atenção para a possibilidade de ter sido um crime planejado por Albertina, já que ela relatou estar acompanhada de três crianças no momento da ação criminosa.

“Baseados nisso, fizemos investigações junto com a Dipol, que fez uma analise minuciosa acerca dos fatos, e constatamos a participação da Albertina no crime, chegando até o José Caetano que mantinha um relacionando com ela”, relatou o delegado.

Sobre a motivação do crime, Adalgisa alegou em depoimento que durante os 20 anos de relacionamento com o policial, era espancada pela vítima e como ela estava se relacionando com o José Caetano, os dois se uniram com outra pessoa ainda não identificada e planejaram a execução.

“Sabemos que este terceiro individuo é morador da cidade de Cumbe, onde a vitíma residia pouco antes do crime. Esperamos prender ele em breve”, informou o delegado.

Segundo Dernival Eloi, Albertina confessou ter participado do crime, alegando que não conseguia mais sofrer agressões por parte da vítima, enquanto José Caetano confessou ter ido ao local, mas nega ter entrado na residência, afirmando que quem cometeu o crime foi o outro indivíduo.

“Ele afirma que o outro homem foi o executor do crime, porém, Albertina relatou que tanto o homem quanto “Beto” são os executores, o que é mais provavel, pois a perícia foi até o local e constatou que foram utilizadas no crime duas armas, além de facas e pedaços de pau. Agora será solicitado a prisão temporária dos dois e as diligências irão continuar no intuito de prender esse outro indivíduo”, concluiu.

 

Fonte: ASN

 

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: