Polícia desmente uso de força excessiva na prisão de Adrianinho

O Batalhão de Radiopatrulha (BPRP) da  Polícia Militar, apoiada pela 4ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Comunitária (4ªCia/ 1º BPCom), prendeu por volta das 12h deste  por volta das 12h deste domingo Adriano Gonzaga Santos, de 28 anos, vulgo Adriano Mago ou Adrianinho,  no bairro Santa Maria, na cidade de Aracaju.

Após receber denúncia de populares, que ligaram para o Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (CIOSP), informando que Adrianinho estava na comunidade localizada nos fundos do BANESE do bairro Santa Maria, as guarnições do BPRP, Leão Operações, 11 e 14, foram designadas para checar a informação no local. Ao notar a presença dos policiais militares, o infrator fugiu e foi perseguido.

Após correr mais de 800 metros, Adrianinho tentou escapar da perseguição policial e invadiu uma loja de ferragens na rua principal do Santa Maria, localizada próximo à feira livre. Após saltar o muro dos fundos, ele se machucou, causando uma fratura exposta no tornozelo direito e sendo alcançado e preso pelo BPRp, com o apoio de guarnições da 4ª Cia/ 1º BPCom.

Por conta do ferimento, o homem foi imediatamente socorrido pelos policiais e levado ao Hospital de Urgência de Sergipe (HUSE), onde ainda recebe cuidados médicos, antes de ser conduzido para a delegacia. Com Adrianinho, foi apreendido um revólver calibre 38, com o qual, inclusive, realizou vários disparos contra os militares, enquanto corria pelas ruas do Santa Maria.

Como havia muitos transeuntes na região, vez que há uma feira livre aos domingos naquela localidade, os PMs agiram com extrema cautela durante a perseguição. Com essa importante prisão, a Polícia Militar retira de circulação um homem perigoso, foragido da Justiça e acusado de uma longa lista de graves crimes, dentre os quais figuram vários homicídios e tráfico de drogas.

Adriano Mago vinha sendo procurado por toda a segurança pública de Sergipe, desde que fugiu da carceragem do Complexo de Operações Policiais Especiais (COPE), em 14 de novembro de 2014.

Familiares alegaram que a ação da PM foi truculenta e chegaram a espancar Adrianinho já dominado. No entanto o assessor de comunicação da Polícia Militar, coronel Paiva, desmentiu a informação, e disse que os homens agiram dentro do procedimento legal.

Fonte: PMSE

 

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: