Policía ocupa morro da Mangueira no Rio

mangueira

 

 

 

 

 

 

 

 

Os morros da Mangueira, Telégrafo, Parque Candelária e Tuiuti foram ocupados na manhã deste domingo, pelas forças de segurança comandadas pela Secretaria de Segurança, para a futura implantação da 18ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) .

Cerca de 800 homens, entre fuzileiros navais e policiais militares, civis e federais tiveram o apoio da Marinha e do Bope, além de helicópteros do Grupamento Aéreo-Marítimo. O desejo de paz, simbolizado na faixa branca pendurada por moradores da Mangueira na noite deste sábado, deu o tom de toda a operação.

 

Com as ocupações feitas hoje, o Maracanã – principal estádio da Copa de 2014 – terá as principas favelas do seu entorno pacificadas. Desde a primeira ocupação na região – os morros do Borel e Formiga, em abril de 2010 –, Andaraí, Salgueiro, Turano, Macacos e São João foram pacificados em operações relativamente tranqulas, sem mortes ou grandes conflitos.

Com a futura UPP da Mangueira, a área em torno do Maciço da Tijuca cobrirá uma área de 798 mil metros quadrados, atingindo cerca de 1,1 milhão de moradores da Tijuca, São Cristóvão e bairros vizinhos. A Secretaria de Segurança chega a esse cálculo contando a população que mora num raio de dois quilômetros – distância de um tiro de fuzil – de cada favela ocupada. No caso da Mangueira, a estimativa é que esse número chegue a cerca de cem mil pessoas.

Na operação de hoje, outro padrão das ocupações para implantação de UPPs foi repetido: não houve prisões. O governo do estado mais uma vez repetiu a tática de guerra antecipada, ao anunciar, no fim do maio, que a próxima UPP seria na Mangueira. O secretário José Mariano Beltrame comentou o que considera uma decisão acertada:

– Hoje foi devolvido um território a aproximadamente 100 mil pessoas sem disparar um tiro. Isso é uma vitória. A saída dessas pessoas para outros lugares os deixa vulneráveis porque seu espaço de atuação diminui e eles saem das áreas onde eles tinham um domínio e onde a polícia, atenta, agora vai entrar. A polícia passa a trabalhar como ela deve trabalhar, sem trauma.

Sem revelar qual será a próxima comunidade a ser beneficiada pela instalação de uma UPP, Beltrame disse que ainda há muito a ser feito:

– Ninguém está dando o jogo como ganho. Problemas existem, vão continuar tendo. Não há garantia de que nada mais não vai acontecer.

No total, já foram apreendidos 32 veículos, 35 tabletes e 300 trouxinhas de maconha. Três pessoas foram detidas portando drogas.

Foto: Pablo Jacob

Fonte: Extra.globo.com / Guilherme Amado 

Deixe uma resposta

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...