Prefeitura de Aracaju notifica proprietários de comércios em faixa de praia da Orla de Atalaia

A Prefeitura de Aracaju, por meio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), notificou na manhã dessa sexta-feira, 19, 35 proprietários de bares e outros comércios, instalados na faixa de areia das praias, principalmente da Cinelândia, sobre a necessidade de retirada de todos os equipamentos e pertences no prazo de 72 horas. A medida foi tomada a partir de abertura de procedimento no Ministério Público Federal (MPF) e recomendações da Superintendência de Patrimônio da União (SPU).

A decisão da administração municipal busca respeitar a legislação vigente no que se refere à ocupação inadequada das faixas de praia. “À luz da legislação, aquela ocupação na Cinelândia é irregular porque tornou-se algumas pessoas ocupando de forma fixa aquele ambiente, que é um local de gestão de praia, onde não pode ocorrer este tipo de ocupação. Por isso, a gente caracteriza aquela ocupação como irregular”, explica o presidente da Emsurb, Luiz Roberto

A SPU, através de ofícios, exigiu cumprimento do Termo de Adesão à Gestão de Praias (TAGP), que classifica como irregulares as ocupações, uma vez que o documento proíbe construções permanentes em áreas do tipo.

Sendo assim, os comerciantes não possuem as condições para adequarem-se também às exigências da Vigilância Sanitária, que emitiu notificações para regularização de cumprimentos das regras básicas sanitárias.

“Nós recebemos notificação de abertura de procedimento administrativo do Ministério Público Federal, assim como dois ofícios da Superintendência de Patrimônio da União, solicitando providências acerca daquela ocupação irregular. Nós temos um termo de autorização de gestão de praia que foi concedido pela União ao município de Aracaju, que regulamenta as possíveis ocupações na zona de praia. Aquela ocupação é irregular, as pessoas que estão ali não possuem permissão, principalmente para edificar ou montar estruturas físicas. No dia de hoje, eles estão sendo notificados para que desocupem a área em um prazo de 72 horas. Em caso de não desocuparem de forma voluntária, as providências serão tomadas pelos órgãos competentes, nesse caso, a Emsurb, a SMTT e a Guarda Municipal”, ressalta o presidente.

Reprodução: www.imprensa1.com

Por; Ascom da Emsurb-PMA

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...