Prefeitura reforça cuidados para prevenção e tratamento de HIV/Aids

Com uma média de 60 a 80 novos casos mensais de HIV/Aids, 6.188 pessoas fazendo uso de medicamento e cerca de 5.203 fazendo uso do serviço especializado, o Dezembro Vermelho é o momento que a Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Saúde, utiliza para dar visibilidade às ações de prevenção e de reforçar o combate ao estigma direcionado ao vírus e sua doença no município.

Dessa forma, desde 2017, o Dezembro Vermelho se soma ao Dia Mundial Contra a Aids, celebrado em 1º de dezembro, a fim de dar notoriedade às ações que envolvem o HIV. “Essas datas são justamente o momento para sensibilizar a população e os soropositivos”, diz a coordenadora do Programa de ISTs da Secretaria Municipal da Saúde, Débora Oliveira.
Ter uma campanha voltada para isso, de acordo com Débora, faz com que a luta nacional contra a Aids seja intensificada. “A data lembra a importância do tratamento e do diagnóstico precoces”, ressalta Débora. De acordo com ela, quanto antes houver o diagnóstico e, consequentemente, o tratamento, maiores são as chances de o paciente ficar com a carga viral indetectável.

“O que significa mais qualidade de vida. Inclusive, com a carga viral indetectável, o vírus se torna intransmissível por relação sexual”, destaca a coordenadora. Débora Oliveira lembra que o HIV é alvo de tanto preconceito justamente por se tratar de uma infecção sexualmente transmissível e que por isso é tão importante discutir o tema.

“Temos que trabalhar a questão do preconceito, para que os pacientes consigam absorver a presença da doença de forma mais simples. Isso é trabalhado com psicólogo e com a adesão ao tratamento, pois através dos medicamentos o paciente consegue ter uma qualidade de vida melhor”, reforça.

Atualmente, no quadro de pacientes do Serviço gerido pela Prefeitura constam 2.244 adultos com HIV; 2.745 adultos com Aids; 18 crianças com HIV; 32 crianças com Aids, e 164 crianças expostas. Em Aracaju, todos os pacientes com sorologia positiva para HIV são encaminhados para o Centro de Especialidades Médicas – Cemar – Siqueira Campos. É lá que funciona o Serviço Especializado de Atenção às Pessoas com HIV/Aids, que é o único serviço do estado, mas gerido pelo município.

Foto: Marcelle Cristinne

Fonte: PMA

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...