Presidente do Banese discute com prefeitos fechamento de agências

Gestores, vereadores, secretários municipais e representantes de prefeitos das cidades de Pirambu, Santo Amaro das Brotas, Rosário do Catete, Nossa Senhora de Aparecida, Malhador, Riachuelo, Areia Branca, Poço Verde, Siriri, Japoatã, Cristinápolis, Umbaúba, Indiaroba e Poço Redondo, estiveram reunidos nesta quarta-feira 19, com o presidente do Banese, Fernando Mota, em um encontro realizado pela Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (FAMES), para tratar sobre o possível fechamento das agências bancárias, que passariam a ser pontos de atendimento eletrônico e presencial.

Ao tomar conhecimento do assunto, a Fames idealizou encontros com prefeitos e mobilizou todos para que juntos, pudessem reverter esta decisão que afeta toda população dos municípios inclusos na lista de readequação. Em conversa com os gestores presentes na reunião informal, o presidente do Banese, Fernando Mota, discutiu o assunto deixando claro a todo momento que os prefeitos ficassem tranquilos, pois trata-se de uma mudança que beneficia as cidades e assegura a continuidade no atendimento ao cidadão.

“A iniciativa é uma tendência do sistema bancário. Inclusive, dezenas de municípios no país estão aderindo a esta adequação, em que a população é atendida de forma presencial por equipamento de autoatendimento e in loco nos pontos Banese”, explicou.

O presidente ainda destacou que houve uma desinformação que gerou comentários negativos. “Comparecemos hoje, aqui, e ouvimos reclamações e ponderações dos gestores, e explicamos as razões pelas quais adotamos essa medida”.

Atento às colocações de Fernando Mota, o presidente da Fames, Christiano Cavalcante, disse que o Banese precisa repensar a decisão e ouvir mais os prefeitos para que juntos tracem estratégias de fortalecimento entre instituição bancária e os municípios. “Esta luta é de todos nós. O Banese é um banco importante para toda sociedade sergipana, e precisamos sempre agir em prol do fortalecimento. Acredito que o melhor caminho para se resolver qualquer coisa é através do diálogo”, pontuou.

Presente na reunião, o prefeito de Areia Branca, Alan de Agripino, falou do impacto que será causado na população rural, caso a decisão seja concretizada. “Nos preocupa muito saber que nossa população será atingida por esta decisão. A tecnologia não chegou para todos, e temos uma área rural desprevenida e que apresenta pouco interesse pelos novos meios de realizar pagamentos e resolver as coisas do dia a dia, que dependem de uma pessoa presente no caixa bancário”, disse inconformado.

Próximo passo

Ao final do encontro, e após ouvir todos os gestores, o presidente do Banese marcou uma reunião com toda diretoria para o dia 06 de março, onde será reavaliado e estabelecido opções de continuidade na medida em que os prefeitos se oferecerem a somar esforços. “Com toda conversa, não iria, de forma nenhuma, rejeitar às propostas dos gestores. Vamos nos reunir para que a gente encontre uma solução definitiva”, enfatizou Fernando Mota.

 

Por Yslla Vanessa/ Ascom FAMES

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: