Imprensa1
Site de notícias do jornalista radialista Marcos Couto

Regularização de pequenas queijarias gera mais desenvolvimento para Sergipe

Os esforços do Governo do Estado para certificar laticínios produzidos em Sergipe resultaram, no último ano,  na regularização de 11 pequenas queijarias. A ação foi facilitada a partir da Lei Nº 8.887, de 02 de setembro de 2021, que instituiu o Serviço de Inspeção Agroindustrial, Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal no Estado de Sergipe SIE/SE.

A legalização das queijarias de pequeno porte em Sergipe é realizada por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri) e Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro). Para a produtora de Nossa Senhora da Glória Joseane da Costa, receber o Certificado do Serviço de Inspeção Estadual vai possibilitar crescimento para o seu negócio.

“A gente vai ter condição de estar nos mercados, vendendo os nossos produtos rotulados, tendo oportunidade de crescimento. Foi muito importante essa conquista e o apoio porque se a gente não tem parceiros, se a gente não se une, não se organiza, a gente não consegue avançar. Mas quando está todo mundo apto a transformar a bacia leiteira, a gente só tem a avançar e a crescer”, afirmou.

O secretário de Estado da Agricultura, Zeca da Silva, pontuou que, no último ano, o trabalho de orientação e regulamentação foi intensificado. “Quando cheguei na Seagri, criei a equipe técnica que vem trabalhando junto aos queijeiros para conscientizá-los sobre a necessidade de regularização, orientando-os no processo para aquisição de licenças e adequação das estruturas. O resultado tem sido positivo, e vem possibilitando o fortalecimento e expansão da comercialização e o reconhecimento do trabalho do produtor rural”.

De acordo com a diretora de Defesa Animal e Vegetal da Emdagro, Aparecida Andrade, a inspeção estadual em produtos lácteos (queijo, manteiga, iogurte, etc) é importante para evitar riscos aos consumidores, garantindo a qualidade dos alimentos e assegurando a proteção da saúde pública. “Hoje, no estado, temos 11 laticínios, estabelecimento ou agroindústrias com a certificação da Inspeção Estadual, os quais têm seus produtos rigorosamente acompanhados pela Emdagro, onde são observadas as boas práticas de fabricação e realizadas análises laboratoriais dos produtos para garantia da qualidade”, informou. Aparecida Andrade explicou, ainda, que os consumidores podem observar nas embalagens dos produtos com Certificado de Inspeção o selo de garantia da Emdagro.

Após 11 anos produzindo laticínios de forma artesanal, com o recebimento do Certificado do Serviço de Inspeção, outras conquistas já começam a se materializar para a pequena empresária, que ainda em janeiro deve colocar em funcionamento sua fábrica. “Receberemos aqui cerca de 10 mil litros de leite por dia, serão aproximadamente mil quilos de laticínios produzidos por dia. Vamos fazer queijo coalho, muçarela, queijo manteiga – que o nosso requeijão -, queijos maturados (meia cura e parmesão), queijos temperados e a manteiga. E vamos vender essa produção para delicatessens, supermercados, para todo o estado, porque hoje só vendemos aqui no nosso ponto de vendas”, disse Joseane.

Expansão

Atualmente, no processo artesanal, são produzidos 30 kg de laticínios por dia, e para alcançar os mil quilos da produção futura Joseane vai precisar ampliar o número de funcionários e de fornecedores de leite, auxiliando o desenvolvimento da economia local. “Hoje, a gente compra de dois produtores e, depois da fábrica, precisaremos comprar de muitos. A gente vai começar processando dois mil litros de leite, então no mínimo serão cinco pessoas na fábrica. Então precisaremos contratar mais três pessoas inicialmente, além do meu esposo e da Lilian, que já está com a gente”, explicou Joseane.

Lilian Aragão já trabalha com Joseane há um ano e enxerga na expansão da fábrica oportunidade de crescimento, também, para outros moradores da região. “Eu sou nascida e criada em Glória e trabalhava com eletrônica e tenho formação, também, como bombeira civil. Mas estava procurando emprego e tive essa oportunidade de trabalhar aqui e fui aprendendo a fazer o queijo. Agora, com a fábrica, vai ser muito importante para a região, porque vai gerar emprego, vai dar também oportunidade para outras pessoas que não sabem fazer queijo de aprender como eu aprendi”, destacou.

Para a produtora, a expectativa é de mais realizações em 2023. “A gente está na esperança de conquistar o selo Sisbi [Sistema Brasileiro de Inspeção], para vender para outros estados e para o mundo. Também estamos correndo atrás da Identidade Geográfica do Queijo Sergipano. Então, 2023 promete muitos avanços”, ressaltou.

Desburocratização

Até o momento, foram certificadas uma queijaria em Propriá, uma em Itaporanga, uma em Japoatã, uma em Porto da Folha, uma em Aquidabã, uma em Itabaiana e cinco em Nossa Senhora da Glória. Outros 51 projetos encontram-se na Emdagro em vias de regularização.

Segundo Joseane da Costa, que também é presidente da Associação de Queijeiros Sertão Forte, 2022 foi um ano de vitórias para as pequenas queijarias. “Foi muito importante o trabalho da Secretaria de Estado da Agricultura, porque eles montaram toda uma estrutura, com Adema, Emdagro e outros órgãos para simplificar e desburocratizar o processo. Isso facilitou a nossa vida. E, hoje, só não consegue uma regularização quem realmente não quer, porque os órgãos são parceiros. A associação, atualmente, tem 32 associados e todos querem se regularizar”, concluiu.

Reprodução: www.imprensa1.com

Foto : Arthuro Paganini

Por: Secretaria de Estado da Comunicação Social
Governo de Sergipe
Contato: (79) 3225-9800

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...