Saúde planeja combate ao Chikungunya

Saúde_divulgaçãoA Saúde de Aracaju realizou na manhã desta segunda-feira, 13, uma reunião entre a Diretoria da Vigilância em Saúde e a Diretoria de Atenção à Saúde, com as participações também da Coordenação da Vigilância Epidemiológica, o Programa Municipal de Controle da Dengue e a Coordenação da Rede de Atenção Primária à Saúde. O objetivo do encontro foi fazer o planejamento das ações de enfrentamento para a preparação da Saúde Municipal com a chegada do vírus Chikungunya – doença causada por vírus do gênero Alphavirus (transmitida por mosquitos do gênero Aedes, sendo o Aedes Aegypti (transmissor da dengue) e o Aedes Albopictus os principais vetores).

A coordenadora do Programa Municipal de Controle da Dengue, Taise Cavalcante, participou entre os dias 7 e 8 de outubro do “Seminário Internacional de Chikungunya”, que foi realizado em Brasília. Segundo Taise, vários temas foram discutidos por representantes de alguns países que já tiveram a transmissão da doença nos seus territórios.

“No evento, os representantes trouxeram experiências vividas e modelos de organização e planejamento para o enfrentamento na chegada da doença em cada município. Apesar da doença ainda não ter chegado ao município de Aracaju, temos que ficar em alerta, pois a doença é passada para o homem pelo mesmo mosquito que transmite a dengue”, afirma.

Taise ainda explica que os principais sintomas da doença são: febre alta, dor em várias articulações e exantema (manchas vermelhas na pele). “Os sintomas costumam durar de três a 10 dias e apesar de ser parecido com a dengue, a letalidade da Chikungunya é rara, sendo menos frequente que nos casos de dengue”, informa.

De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Tereza Cristina Maynard, para evitar a transmissão do vírus é fundamental que as pessoas reforcem as ações de eliminação dos criadouros dos mosquitos. “As medidas são as mesmas para o controle da dengue, ou seja, verificar se a caixa d’água está bem fechada; não acumular vasilhames no quintal; verificar se as calhas não estão entupidas; colocar areia nos pratos dos vasos de planta, lavar as lavanderias duas vezes por semana, entre outras iniciativas deste tipo”, explica a diretora.

Até o último dia 4 de outubro, o Ministério da Saúde registrou 211 casos de Febre Chikungunya no Brasil. Do total, são 38 casos importados de pessoas que viajaram para países com transmissão da doença, como República Dominicana, Haiti, Venezuela, Ilhas do Caribe e Guiana Francesa. Os outros 173 foram diagnosticados em pessoas sem registro de viagem internacional para países onde ocorre a transmissão. Desses casos, 17 foram registrados no município de Oiapoque (AP) e 156 no município de Feira de Santana (BA).

Fonte: PMA

Ações de combate à dengue e à febre do Chikungunya

Como parte das medidas para o combate à dengue e à febre do Chikungunya, a Saúde de Aracaju realizará entre os dias 14 e 17 de outubro uma capacitação com todos os profissionais, médicos e enfermeiros da Rede de Atenção Primária, além dos agentes de endemias do Programa Municipal de Controle da Dengue. O objetivo é fazer a atualização e conhecimento sobre a doença e manejo dos pacientes. Já nos dia 20 de outubro será a vez dos profissionais dos Núcleos de Infecção Hospitalar de todos hospitais públicos e privados.

Lembrando que entre os dias 20 e 24 de outubro será realizado o sexto Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa). Com o objetivo de identificar as larvas dos mosquitos Aedes Aegypti e Aedes Albopictus, onde estão os focos e os depósitos de água para traçar as ações de intensificação nos locais de maior infestação do vetor.

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: