Seguro obrigatório para veículos aumenta indenizações em 14% no ano

seguro-carroSÃO PAULO  – O Seguro Dpvat pagou 340.539 indenizações no primeiro semestre de 2014, um crescimento de 14% de pagamentos, perante o total realizado nos primeiros seis meses do ano passado.

O número de mortes reduziu 13% em relação ao mesmo período do ano anterior. Contudo, as indenizações por invalidez permanente saltaram 21% e chegaram a 259.845 pagamentos em todo o Brasil. O levantamento foi realizado pela Seguradora Líder-Dpvat, administradora do seguro no País.

As motocicletas continuam na liderança das estatísticas do Seguro Dpvat. Os acidentes envolvendo o veículo de duas rodas, que equivalem a 27% da frota nacional, representaram 75% de todas as indenizações pagas pela Seguradora Líder-Dpvat no semestre, somando 256.387.  Os automóveis, que somam aproximadamente 60% da frota, foram responsáveis por 23% dos benefícios pagos (67.906).

O Nordeste registrou o maior número de acidentes indenizados pelo Seguro Dpvat em suas três garantias – morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares) -, somando 34% (113.99) durante o primeiro semestre de 2014, apesar desta região ter apenas a 3ª maior frota do País.

Já o Sudeste, que possui a maior frota, ficou em segundo lugar, representando 26% (89.466) das indenizações pagas no período. As regiões Sul, Norte e Centro-Oeste registraram, respectivamente, 19%, 11% e 10% do total pago.

O Sudeste lidera o quadro de benefícios pagos por morte, somando 37% do total pago no primeiro semestre. Nordeste ficou em segundo lugar, com 29%. Quando analisadas as indenizações por morte regionalmente segmentada por tipo de veículo, a tendência é de maior letalidade em acidentes envolvendo automóveis.

Nas regiões Nordeste e Norte, onde as motocicletas são responsáveis por 59% e 57% das mortes, respectivamente. São as únicas regiões do país em que a frota do veículo de duas rodas supera o número de carros.

Perfil das vítimas As vítimas em sua maioria são homens, representando 75% do total. Dos acidentados,  52% são jovens entre 18 e 34 anos que morreram ou ficaram inválidos, o que consolida uma tendência registrada em levantamentos anteriores.

Ricardo Xavier, diretor-presidente da Seguradora, explica que o procedimento para o recebimento do seguro pelas vítimas de trânsito é simples e gratuito. Não é necessário intermediário para dar entrada no pedido de indenização. Basta apresentar os documentos no ponto de atendimento escolhido no prazo de três anos a contar da data da ocorrência do acidente.

O pagamento da indenização é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após a apresentação da documentação necessária. O valor da indenização é de R$ 13.500 no caso de morte, até R$ 13.500 nos casos de invalidez permanente, variando conforme o grau da invalidez, e de até R$ 2.700 em reembolso de despesas médicas e hospitalares comprovadas.

Os recursos do seguro são financiados pelos proprietários de veículos, por meio de pagamento anual. Do total arrecadado, 45% são repassados ao Ministério da Saúde (SUS), para custeio do atendimento médico-hospitalar às vítimas de acidentes de trânsito em todo País. 5% são repassados ao Denatran, para aplicação exclusiva em programas destinados à educação e prevenção de acidentes de trânsito. Os demais 50% são voltados para o pagamento das indenizações.

Fonte: Portal Yahoo

Foto: ilustrativa

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: