Senadores comemoram vacina e cobram início de campanha

Com a autorização para uso emergencial de duas vacinas contra a covid-19 no Brasil, senadores foram às redes sociais cobrar o início de uma campanha nacional de vacinação. Para eles, o momento traz esperança e exige ação rápida e decisiva. O Ministério da Saúde anunciou o início da vacinação para esta quarta-feira (20).

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, comentou logo depois do anúncio que todas as vacinas são bem-vindas e elogiou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), responsável pela decisão.

“Seja de onde for, venha de onde vier, a vacina é essencial para que possamos retomar as rédeas de nossas vidas. Vem, vacina! Guiada pela ciência, a Anvisa acaba de autorizar o uso emergencial da CoronaVac e da Oxford”, afirmou Davi, fazendo referência às duas vacinas aprovadas no domingo (17).

A CoronaVac foi desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e está sendo produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. Já a Oxford é um trabalho de pesquisadores da universidade inglesa e do laboratório anglo-sueco AstraZeneca e será produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Líder do MDB, o senador Eduardo Braga (AM) cobrou o início imediato da vacinação com acesso universal e gratuito. Em dezembro, o Senado aprovou um projeto de lei que prioriza o Sistema Único de Saúde (SUS) na distribuição das vacinas até que a meta nacional de imunização seja alcançada.

“Anvisa aprovou o uso emergencial das vacinas CoronaVac e Oxford. Esperança na luta para que possamos salvar vidas e superar essa terrível pandemia. Vacina já, universal e gratuita”, escreveu.

Segundo o Ministério da Saúde, a distribuição de vacinas para os estados já começa nesta segunda-feira (18). O início da vacinação está previsto para o dia 20. Com três fases para grupos prioritários já definidas. A primeira contempla profissionais da saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas em instituições de cuidados e populações indígenas e ribeirinhas. Depois serão atendidos os idosos entre 60 e 74 anos e, na terceira fase, pessoas com comorbidades como doenças respiratórias e cardiovasculares. Pela estimativa, mais de 49 milhões de pessoas serão imunizadas nessas primeiras etapas.

Profissionais da educação, da segurança pública e do sistema prisional também constam como grupos prioritários, mas ainda não está prevista uma fase para eles.

Presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a senadora Simone Tebet (MDB-MS) afirmou que “a ciência venceu” e que o próximo passo é fazer a vacina chegar a todos os brasileiros.

“A vacina é o caminho mais seguro para impedir a repetição das cenas de horror que assistimos na última semana em Manaus. Esperamos agora um plano nacional de vacinação para todo o país”, publicou.

O líder do DEM, senador Rodrigo Pacheco (MG), também registrou a aprovação unânime da CoronaVac e da Oxford e disse que o dia entra para a história do país.

“Ambas se tornam as primeiras vacinas contra Covid a poderem ser aplicadas no Brasil. Uma esperança para os brasileiros”, comemorou.

Fonte: Agência Senado

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...