STF homologa delação; CPMI se articula para receber depoimento de Paulo Roberto Costa

MARCO-DA-INTERNET-DEPUTADOS-FEDERAIS-CAMARA-FEDERAL-PROJETO-APROVADOO ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki homologou o acordo de delação premiada entre o Ministério Público e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Com isso, a CPMI que investiga denúncias de irregularidades na estatal vai ter condições de receber o conteúdo dos depoimentos e dar continuidade ao seu trabalho de investigação. A homologação judicial era condição imposta pelo Judiciário para transferir as informações à comissão parlamentar de inquérito.

Os integrantes da CPMI já se movimentam para que os dados cheguem o quanto antes. O deputado Izalci (PSDB-DF), que participou de reunião com Zavascki no último dia 23, informou que pretende entrar em contato com o ministro Zavascki nesta quarta-feira (1º) para saber quando isso ocorrerá. Apesar de correr contra o tempo, ele acredita que será possível concluir as investigações antes do fim deste ano.

“Creio que vamos conseguir investigar, sim. Sabíamos que iríamos atrasar um pouco à espera da delação, mas nesse período tem chegado muito coisa, inclusive sigilos bancários, fiscais e telefônicos de vários acusados”, afirmou o deputado.

Já segundo o líder do Democratas no Senado, José Agripino Maia (RN), Zavascki avisou que o Supremo só vai liberar a cópia dos depoimentos após a apresentação formal da denúncia. “O que ficou acertado é que instaurado o processo, aí, sim, o compartilhamento dos depoimentos será feito com a CPMI. É o que o rito processual permite”, declarou o senador, que também esteve no encontro na última quinta-feira.

O presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), pedirá novamente ao STF até a próxima segunda-feira (6) acesso aos depoimentos de Paulo Roberto Costa. Ontem (30), em entrevista à Rádio Senado, Vital adiantou que o colegiado fará uma espécie de esforço concentrado para compensar os dias sem reuniões durante o período eleitoral.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) se disse surpresa com a rapidez da homologação da delação premiada. “Essa é uma boa notícia porque sinaliza que as coisas de fato serão encaminhadas em um prazo suficiente diante da gravidade dos fatos”, sustentou.

A assessoria do relator da CPMI, deputado Marco Maia (PT-RS), comentou que ele está focado nas eleições e não comentaria sobre a homologação.

Fonte: Agência Câmara

Foto: Agência Câmara

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: