Usina de asfalto da Prefeitura de Aracaju registrado maior produção desde 2002

Há 17 anos, a usina de asfalto da Prefeitura de Aracaju, gerenciada pela Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), produziu, em apenas um ano, 70 mil toneladas de asfalto. Histórica, essa marca foi superada apenas em 2019, quando a administração municipal atingiu novo recorde, com a produção de 76,5 mil toneladas de asfalto.

Todo esse material foi usado na recuperação da malha viária da cidade, tanto na operação tapa-buraco, quanto no Programa de Recuperação Asfáltica e no recapeamento de avenidas estratégicas para a mobilidade urbana.

Para a conquista desse resultado, alguns fatores foram determinantes, como o processo de reestruturação da empresa responsável pelas obras de requalificação viária de Aracaju, que levantou a situação de todos os equipamentos utilizados na recomposição do pavimento das vias públicas da cidade, os quais não estavam em condições de uso por conta do tempo que passaram sem utilização.

“Na atual gestão municipal, a partir das diretrizes do Planejamento Estratégico, conseguimos tirar a empresa de um estado quase letárgico para, nestes três anos, reintegrar setores estratégicos e que interferem diretamente na qualidade de vida dos aracajuanos, como é a usina de asfalto”, explica o secretário da Infraestrutura e presidente da Emurb, Sérgio Ferrari, ao destacar que, atualmente, a usina chega a produzir 700 toneladas de asfalto por dia.

Essa reestruturação da Emurb possibilitou a otimização da capacidade operacional do órgão, conquistada a partir da adoção de soluções criativas, como o leilão de peças antigas da empresa, que arrecadou recursos para atualização do maquinário. Da mesma forma, um empréstimo conseguido junto ao Banco do Brasil permitiu a compra de uma fresadora, máquina que retira o asfalto e permite a reutilização desse material.

Com isso, a Prefeitura deve alcançar mais uma marca inédita: 300km de vias públicas recapeadas em um intervalo de quatro anos, considerando tanto o trabalho feito pela Emurb e quanto das obras contratadas no âmbito do Projeto de Mobilidade Urbana. “São mais do que números: esses dados representam o êxito na proposta de restaurar o pavimento envelhecido”, salienta Ferrari, ao pontuar alguns dos fatores que contribuem para o desgaste da malha viária, como o aumento da frota de veículos e o desgaste natural provocado pela salinidade e ações do tempo.

Controle de qualidade

Na usina de asfalto da Prefeitura há um rigoroso acompanhamento em todas as fases da produção. O controle de qualidade começa na própria elaboração da massa asfáltica, realizada na unidade de produção da empresa, localizada no Km 4 da Rodovia João Bebe Água, no município de São Cristóvão, onde, diariamente, é feito um ensaio pelo laboratório da usina para garantir à qualidade do Cimento Betuminoso Usinado a Quente (CBQU), isto é, o asfalto propriamente dito.

A aplicação da massa asfáltica também segue um rigoroso controle. Inicialmente, os profissionais fazem a limpeza do local com varrição e retirada de materiais soltos. Em seguida, é feita a pintura de ligação, para somente depois ser aplicado o asfalto, a uma temperatura de 140ºC.

Fonte:  Diretora de Imprensa Secom/Prefeitura de Aracaju

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: