Vereador diz que greve dos rodoviários não está descartada

adrO vereador de Aracaju, Adriano Taxista (PSDB), participou das duas (uma pela manhã e outra à tarde) assembleias promovidas pelo SINTRA (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário em Aracaju-SE) com funcionários das empresas de ônibus da capital.


Adriano tem representado a categoria na Câmara Municipal e tem buscado, insistentemente, uma audiência com o prefeito João Alves Filho (DEM), para externar os problemas enfrentados pelos rodoviários. O tucano não descarta uma greve dos trabalhadores se as solicitações não forem acatadas.


Logo cedo, Adriano acompanhou a primeira assembleia da categoria e foi incisivo em convidar os rodoviários para duas caminhadas de protesto agendadas para o próximo dia 26.


“Pela manhã, às 7h15, queremos todos os trabalhadores concentrados e mobilizados para uma caminhada da Praça da Bandeira até a Assembleia Legislativa, e à tarde, a partir das 15 horas, saindo do mesmo local, vamos até a Câmara Municipal de Aracaju. Vamos pedir o apoio e a adesão dos parlamentares nesta luta que é de todos, de toda a sociedade de Aracaju”.


Adriano Taxista informou que os empresários estão oferecendo um percentual de 7% de reajuste salarial para a categoria. “Isso já é a inflação do período, praticamente. Não existe ganho real quase algum. A proposta de reajuste que eles querem dar é 7%. Falam em pouco mais de 3%. Tudo enrolação. Temos que nos mobilizar, fortalecer o sindicato. Não vamos aceitar manobras de empresários. A negociação não está andando. Se os empresários não respeitarem os rodoviários, não tem reajuste da tarifa na CMA. E a greve da categoria não está descartada”.


O vereador disse ainda que as reivindicações não podem ficar apenas no campo dos salários. “A população clama pela licitação do transporte. Por veículos novos, por um serviço exemplar. E os rodoviários reivindicam melhores condições de trabalho, com o pagamento regular dos salários e dos tickets alimentação, o pagamento de horas extras, além da reforma dos terminais de integração. A Procuradoria Geral do Trabalho tem que fazer valer as normas da CLT”.


À tarde, Adriano Taxista, para um auditório lotado, disse que o Rio de Janeiro (RJ), os rodoviários não calaram diante das imposições dos empresários e entraram em greve. “Todo trabalhador tem direito a greve. Mas tem que ter responsabilidade também. Hoje eu estou vereador graças aos trabalhadores e não posso ficar contra esta categoria. Já conseguimos a adesão de alguns vereadores e do deputado estadual Capitão Samuel (PSL), que está focado nesta luta. A categoria unida jamais será vencida”, disse. Durante as assembleia foram escolhidos os representantes de cada uma das empresas para participarem das negociações.


Fonte: assessoria parlamentar

Comentários

Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência no nosso site. Acesse a nossa Política de Privacidade para saber mais ou gerenciar suas preferências pessoais na nossa Ferramenta Consentimento Cookie. Ao usar o nosso site, você concorda com o uso de cookies. Aceitar Ler os termos...

%d blogueiros gostam disto: